GERAL
MP-RJ identifica biotipo do assassino de Marielle e Anderson
Terra
12/10/2018 03:06:00
(Foto: DW / Deutsche Welle)
(Foto: DW / Deutsche Welle)

A Promotoria diz que investigações também apontaram trajeto do carro utilizado no crime após a morte da vereadora e de seu motorista, há quase sete meses. 


Ex-PM suspeito de envolvimento no crime prestou depoimento.


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) afirmou nesta quinta-feira (11/10) ter identificado o tipo físico da pessoa que disparou contra a vereadora carioca Marielle Franco (Psol) e o motorista Anderson Gomes, assassinados a tiros há quase sete meses.


Os investigadores também identificaram novos locais pelos quais o carro utilizado durante o crime teria circulado, segundo nota divulgada pela 23ª Promotoria de Investigação Penal e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRJ.


O rumo das investigações foi comunicado à família de Marielle e à viúva de Anderson na última terça-feira, informou o MP.


De acordo com o MPRJ, foram utilizados softwares de alta tecnologia para reconhecer o perfil biométrico do atirador, cujo biotipo não foi divulgado.


Já a identificação do veículo no qual estavam os autores do crime em locais além dos que já tinham sido distinguidos foi possível por meio da análise de centenas de imagens. 


Para o Ministério Público, o mapeamento representa "um grande avanço" para o seguimento das investigações.


O trabalho foi uma parceria entre os promotores do MPRJ e da Divisão de Evidências Digitais e Tecnologia da Coordenadoria de Segurança e Inteligência.


O Ministério Público informou ainda que o ex-policial militar Orlando Curicica, miliciano suspeito de envolvimento na morte de Marielle e Anderson, foi ouvido pelos promotores responsáveis pelo caso. O encontro foi no Presídio Federal de Mossoró (RN), onde Orlando está preso, acusado de mandar matar uma pessoa em 2015.


O depoimento que Orlando deu aos procuradores da República em momento anterior também foi encaminhado ao MPRJ pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O conteúdo dos dois depoimentos, no entanto, é mantido em sigilo para não atrapalhar as investigações.


Marielle, de 38 anos, e Anderson, de 39, foram assassinados em 14 de março no bairro do Estácio, região central do Rio, quando saíam de um evento no qual a vereadora palestrava. O carro foi alvejado por vários disparos, dos quais quatro atingiram a cabeça de Marielle.


Além de defender os direitos das mulheres e a inclusão social, Marielle criticava também a violência policial e milícias. A morte da vereadora levou multidões às ruas no mundo todo para manifestar solidariedade e cobrar explicações.


FAÇA SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Hojemais.
LEIA TAMBÉM
+ LIDAS EM 72h

Franquia:
Andradina
Seja um franqueado
Franqueado:
FLAVIA REGINA DE AVELAR GOMES 25180990858
Editor responsável:
Flavia Gomes Mtb 8.016/MG
Email: ointeriorfala@gmail.com