Pimenta

Campanha #VoltaBorini

Movimento ganhou forças após medida do prefeito Cristiano Salmeirão (PTB) de concessão da água em Birigui

Da Redação - Hojemais Araçatuba
19/03/19 às 15h57
Arte que está circulando nas redes sociais (Imagem: reprodução)

Voltou a circular nas redes sociais arte da campanha #VoltaBorini, que pede a volta do ex-prefeito Wilson Carlos Rodrigues Borini (DEM) ao comando do Executivo de Birigui (SP).

O movimento ganhou forças após medida do prefeito Cristiano Salmeirão (PTB) de concessão parcial da água em Birigui, por meio de decreto, medida que desagradou até os aliados.

Problemas

Entre as justificativas dos eleitores que pedem o retorno de Borini estão a situação do asfalto, os cargos comissionados, denúncias de suposto pagamento irregular de horas extras para servidores e a “venda da água” (como a população se refere à concessão).

Em um dos compartilhamentos, na página do vereador Luiz Roberto Ferrari (DEM), atual vice-presidente da Câmara, há mais de 90 comentários, com poucos se declarando contrários à campanha. A publicação teve mais de 460 compartilhamentos.

Articulação

Procurado pelo Hojemais Araçatuba , Borini afirma não ter visto as publicações e nem sabe quem começou a campanha. “Temos um grupo com bastante filiados, pessoas que gostam de Birigui como eu. Alguém vai sair (candidato à Prefeitura). Do jeito que está não pode ficar”, declara, sem deixar claro se será candidato ou não.

Faz parte do grupo o vereador José Fermino Grosso, o mais votado nas últimas eleições e atual líder da oposição ao governo Salmeirão.

Equipe

O problema da atual gestão, segundo Borini, não é o prefeito, mas a equipe. “Sem equipe não se vai a lugar nenhum. Eu sempre tive gente boa comigo. Agora, ele (Salmeirão) não quer mudar, colocou quem ajudou na campanha”, opina.

Borini está aposentado e atualmente ajuda os filhos na gestão das empresas da família.

Condenação

Nas últimas eleições municipais, Borini não concorreu à Prefeitura, sendo substituído pela esposa Geni.

Em 2015, Borini e o ex-prefeito Pedro Felício Estrada Bernabé, além de Fabrício Oseko Albani, então coordenador da campanha dos candidatos da coligação, foram condenados por crime eleitoral, conforme decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), acusados de compra de votos.

A pena de Borini foi substituída por prestação de serviços à comunidade, em especial à Apae, que ele afirma ter ajudado a fundar.

Borini nega o crime. “Eu fui condenado por compra de votos, coisa que eu não fiz. Pedro (Bernabé), que era o candidato, ficou quatro anos (no governo municipal) e o Carlito (Vendrame) ficou com o Pedro e depois com a oposição. Alguma coisa está errada, porque só eu paguei a conta.”

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM PIMENTA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.