Pimenta

Nomeação de co-vereadora em cargo na Cultura é alvo de críticas

Juliany Berti Alves é co-vereadora em mandato coletivo, cujo porta-voz é o vereador Wesley Monea

Da redação - Coluna Pimenta*
03/02/21 às 20h40

A nomeação no dia 16 de janeiro de Juliany Berti Alves como nova diretora do Departamento de Cultura de Araçatuba (SP) tem sido alvo de contestações e críticas.  

O que motivou o alvoroço?

Juliany é co-vereadora em uma candidatura coletiva, cujo representante é o vereador Wesley Monea (PODE). Outros cinco nomes também integram o grupo: Marcos Silva, Rafa Bertolucci, Thainá Freitas, Heitor Gabriel e Clara Beatriz.  

O fato de Wesley ser o único diplomado oficialmente, uma vez que a Justiça Eleitoral não reconhece mandatos coletivos, não exime a participação dos demais integrantes do grupo. O próprio Monea, em entrevistas e em materiais de divulgação, disse que ele seria o porta-voz das decisões tomadas por todos do coletivo. 

Executivo x Legislativo

Esse fato é o que origina o segundo motivo das críticas acompanhadas pela coluna, que apontam Juliany como sendo indicação do gabinete no Legislativo ao cargo comissionado. 

Isto posto, se Juliany integra uma candidatura coletiva, na qual exerce poder de decisões enquanto co-vereadora, como poderia atuar em um cargo comissionado no Executivo? Lembrando que a função principal do Legislativo é fiscalizar as ações da Prefeitura.

Se qualquer vereador eleito, também ocupasse um cargo comissionado na administração municipal, como ficaria sua atuação pública nos dois Poderes? 

Críticas

Por conta disso, as críticas vieram, tanto da classe artística, quanto da população em geral, que usaram as redes sociais para seus apontamentos. Um dos textos diz: “Prefeito Dilador nomeia cargo do vereador Wesley do Dialogue. O mandato coletivo já garante cargos na Prefeitura. Essa é a renovação com as velhas atitudes e a ‘teta’ continua”. Outra pede o afastamento do prefeito e afirma que ele nomeou uma de suas “colegas” para o Departamento de Cultura. 

(Continua após o anúncio)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Prints de críticas postadas em rede social (Fotos: Reprodução)

Outro lado 

Procurada para dar sua versão, Juliany não quis se pronunciar sobre o assunto. A coluna enviou perguntas, tais como: “Como que seu nome foi cotado para assumir o cargo?”, “Quais são suas experiências no setor cultural?”, entre outras. 

Até a publicação desta matéria, a Secretaria Municipal de Cultura não havia dado retorno das perguntas enviadas. À pasta, perguntamos: “Qual foi o critério utilizado na nomeação, em janeiro, de Juliany Berto no cargo de diretora de cultua?”, “Como sabemos, indicações para cargos ocorrem em prefeituras. O cargo dela foi indicado pelo vereador Wesley? Caso não, como o nome dela foi cotado”, entre outras. 

Sugestão ou indicação?

Para a coluna, Wesley afirmou que o nome de Juliany foi uma sugestão sua para a Cultura. “ O que houve foi um pedido ao prefeito para que ocupe esses espaços com pessoas que tenham competência técnica para atuar. Expressei a nossa vontade de incidir na Cultura do município para fortalecer essa área e também os artistas de Araçatuba. O governo se mostrou aberto à sugestão, tanto quanto reconhecendo a competência e capacidade da Juliany (que já atuou em festivais culturais e atividades realizadas em Araçatuba) em contribuir para esse fortalecimento. Então, ele fez o convite para que ela ocupasse a diretoria de cultura e ela aceitou ”. 

Monea também disse que se sente triste acompanhado as críticas, pois “ Juliany é artista plástica que vive e sabe as dificuldades da cena cultural da cidade, tem competência para ocupar o cargo e tem mostrado isso desde o primeiro dia de trabalho na secretaria. Me entristece, mas não surpreende que uma mulher, jovem e artista tenha sua competência questionada quando ocupa um espaço desse. Questionamentos que não são feitos quando se trata de alguém que se enquadra nos padrões comumente vistos em cargos de chefia ”. 

A coluna também perguntou ao vereador se ela continua tendo participação como co-vereadora e qual seria a contribuição no Legislativo. Monea disse que Juliany é co-vereadora do mandato e participa da atuação direta dele e das tomadas de decisões, e que isso não se confunde com o cargo em que ocupa na Prefeitura. “Ela tem contribuído para a construção de projetos de lei que tratam sobre a cultura de Araçatuba”.

Já que algumas críticas apontam tal nomeação como uma articulação conhecida popularmente como “velha cultura”, Monea também se pronunciou sobre isso. 

A velha política é aquela onde pessoas sem competência alguma para ocupar espaços são contempladas apenas por conta de acordos, o que não houve nessa situação. A velha política também é a mesma que critica a chegada de alguém como a Juliany nesses espaços. Uma pessoa que representa minorias e hoje está em uma posição de destaque. O nosso mandato, desde a campanha, tem sido transparente quanto às ações e bandeiras que defendemos. Respeitamos a decisão dos eleitores de Araçatuba que reelegeram o prefeito Dilador e a nossa maior responsabilidade é trabalhar em favor da população, construindo leis e atuando em conjunto com o executivo para melhorar a vida dos araçatubenses ”. 

*Na coluna Pimenta são publicadas informações de bastidores da política da região de Araçatuba.
 

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM PIMENTA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.