Viver Mais

'Com competência, o gênero não faz nenhuma diferença; as empresas precisam dar oportunidades'

A autora da frase é Gláucia Zoboli, que viveu e se formou em Araçatuba; hoje, com 36 anos, ocupa um cargo importante no Bradesco Seguros, tendo recebido dezenas de premiações e se tornado um case de sucesso

Manu Zambon - Hojemais Araçatuba
08/03/22 às 10h00

Entre tantas histórias de mulheres inspiradoras, a trajetória de Gláucia Zoboli, de 36 anos, é uma delas. No Dia Internacional da Mulher, o Hojemais Araçatuba entrevistou mulheres, que de alguma forma, transformaram suas vidas e inspiram, seja por meio de projetos pessoais ou carreira. 

Nascida em Marialva (PR), Gláucia viveu parte da juventude em Araçatuba (SP). Vinda de uma família matriarcal, comandada pela avó e mãe, enfrentou dificuldades financeiras e mesmo assim conseguiu estudar em colégio particular graças a bolsas de estudo. 

Hoje, morando em Sorocaba (SP), Gláucia é superintendente comercial da Bradesco Seguros - um cargo que tem pouca presença feminina no mercado -, e possui no decorrer da carreira, dezenas de premiações.

Quando tudo começou 

Gláucia conta que frequentou a Fundação Mirim, em Araçatuba, e durante uma palestra, ao responder um questionamento feito para os participantes, por um representante da escola Salesiano, foi convidada a trabalhar voluntariamente no Oratório São Domingos Sávio; logo depois recebeu o convite para fazer parte do quadro de funcionários da instituição.  

Os melhores alunos da escola ganhavam estágios nos Correios e INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), sendo este último o local onde Gláucia estagiou durante quatro anos. Ela lembra que sua rotina era bem apertada, estagiando das 8h às 12h, e na escola trabalhava no turno da tarde, até às 18h. À noite, estudava. 

“Então, de madrugada, eu moía pão numa padaria que ficava na rua Marcílio Dias para conseguir juntar dinheiro e comprar minha moto, pois eu fazia todo esse trajeto a pé; durante o dia agitado comia um lanche, uma maçã. Ocorreu diversas vezes, ficar o dia todo sem comer, porque financeiramente eu não tinha condições. Não via a hora de chegar em casa e abrir o forno do fogão, onde dona Luzia (avó) sempre deixava algo separado”.

(Foto: Divulgação)

Trajetória de sucesso

No período em que fazia faculdade de comunicação social com habilitação em publicidade e propaganda, Gláucia se questionava sobre trabalhar em algo que amasse e sentia que ali onde estava, atuando administrativamente, não era o que almejava. Foi então que deixou um currículo em uma empresa especializada em empregos, em Araçatuba, conseguindo uma entrevista para o Bradesco Seguros. Foi até Ribeirão Preto fazer testes e foi selecionada, juntamente com mais três pessoas.  

“Comecei em um projeto chamado 'Força Tarefa', como assistente comercial; depois, passei a gerente comercial e em seguida, gerente de núcleo, até ser promovida a superintendente”, destaca Gláucia, que completa 16 anos de trajetória. 

A superintendente recebeu duas vezes o Troféu Talento de Seguros, campanha criada dentro do Bradesco Seguros. A ação tem como objetivo distinguir os profissionais que melhor identificam as necessidades do cliente, por meio de estratégias inovadoras. Além de ter levado os dois prêmios, Gláucia foi indicada seis vezes na campanha, conquistando a 2ª e 3ª colocação, sempre em destaque.

Já no prêmio Talentos Internacional, ganhou no ano passado, participação no Limra Annual Conference, congresso sul-americano, na área de insurance. Durante sua jornada inteira, a superintendente recebeu 48 troféus diversos. 

Gláucia também foi convidada para participar de um grupo de afinidade, criado pela Bradesco Seguros. Seu pilar é “gênero”, onde atua com outras duas colegas, Agnes Rocha e Patricia Pereira. Criou ainda o projeto “50 Cases de Sucesso”, no segmento segurador, onde conta a história de seus clientes com foco em inspirar profissionais e registrar seus legados. 

Opinião

Quanto à sua trajetória no mercado executivo, Gláucia explica que enfrentou algumas dificuldades, mas que a força interna do propósito é maior do que qualquer obstáculo. 

“Se a dificuldade te paralisar, é porque seu propósito não era tão grande o quanto você imaginava. Foi assim que segui em cada situação da minha vida, sempre tendo a certeza que meu propósito é maior do que qualquer uma das inúmeras dificuldades que pudessem aparecer e que ainda aparecerão. Dificuldades depois de vencidas, acabam por ser irrelevantes. Um pequeno exemplo, é quando queremos comprar um carro. Conseguindo alcançar essa conquista, nem nos lembramos do tempo que andamos de bicicleta ou a pé."

“Sempre tive uma opinião muito firme sobre ser mulher e também saber o que eu quero como mulher, mãe e profissional. O esporte me ensinou muito sobre disciplina e determinação", conta Gláucia, que é judoca faixa-preta também. "Com competência, o gênero não faz nenhuma diferença; as empresas precisam dar oportunidades pra mulheres com competência e que querem seguir carreira", completa.  

Inspiração

“Quem me inspirou foi minha vó. Ela me criou e faleceu nos meus braços, mas deixou comigo grandes aprendizados. Sempre me dizia que não podemos ver um livro pela capa e que tinhamos que ler para tirar as nossas conclusões, se era bom ou não. Podemos até aceitar a indicação. E falava que isso também funcionava para a personalidade das pessoas: nunca julgar ninguém, sempre respeitar a todos e saber que quando melhoramos para nós, melhoramos a nossa volta. Se pudermos fazer o bem ao próximo, é ótimo, se não estiver ao nosso alcance, opte sempre em se melhorar, que de alguma maneira estará melhorando para o próximo”.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM VIVER MAIS
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.