AO VIVO
Economia

Com mais de 35 horas sem energia nas propriedades, avicultores temem perder toda a produção

Desde a madrugada de sábado (23) quando ocorreu o temporal na região, produtores de aves utilizam geradores de energia movidos a diesel para manter ventilação dos aviários e reclamam da falta de atenção da Copel

Amaro de Oliveira - HojeMais Maringá
24/04/22 às 14h46

As consequências para o setor agrícola do Paraná podem ser muito maiores após o apagão elétrico causado pelo temporal da madrugada de sábado (23) em várias regiões do Estado.

No noroeste um dos setores que novamente vêm sofrendo com a falta de energia, é o da avicultura. Na região de Maringá, aproximadamente 120 aviários foram afetados, nos municípios de Floraí e Mandaguaçu e mais ao noroeste, Paranavaí e região.

Os produtores estão mantendo o ambiente ventilado nos barracões, com a ajuda de geradores de energia, movidos a óleo diesel.

De acordo com a  Avinopar (Associação dos Avicultores do Noroeste), o problema vem sendo comunicado para a Copel desde a madrugada de sábado, mas ainda não foi resolvido. Neste domingo (24), já passava de 35 horas a utilização de motores geradores de energia nas propriedades.

"Esses equipamentos foram instalados para um socorro e não para manterem os aviários por muito tempo. Se acontecer uma pane no gerador por aquecimento, haverá um grande desastre sanitário, devido a idade das aves. Hoje nós estamos com frangos de 47 dias. Imagina o prejuízo. Não é fácil pra ninguém. Dependemos 100% da eletricidade. O gerador é só um socorro, ele não consegue substituir 100% a energia da Copel para manter a ventilação do aviário. O campo sofre bastante", disse o produtor Rafael Fagan, que tem propriedade entre Floraí e Presidente Castelo Branco.

O produtor é um dos que estão sem energia elétrica há mais de 35 horas. O medo é grande, segundo ele, porque o gerador é para ser usado como um socorro apenas, por no máximo cinco, seis horas. 

Avicultor de Floraí ficou mais de 37 horas com o gerador de energia ligado para manter ventilação no aviário (Foto: reprodução)

Outro detalhe que impacta a avicultura, é o caso dos que possuem a geração de energia renovável. Com a interrupção no fornecimento de energia elétrica, esse sistema também para automaticamente de gerar energia.

Conforme a Avinopar, nos cerca de  120 aviários afetados na região, há um volume de  4,2 milhões de aves e um impacto financeiro, para o avicultor, estimado em R$ 5.250.000, calculando apenas  como base o valor médio potencial de receita bruta.

Essas 4,2 milhões de aves correspondem a 4,2 milhões de famílias que poderão ficar sem essa proteína animal além de corresponder a 13 milhões de toneladas de proteína animal que correm elevado risco de morrerem caso o gerador de energia deixe de funcionar por causa das inúmeras horas de funcionamento, de acordo com a entidade.

Setores como a psicultura e leiteiro também podem estar sendo prejudicados com a falta de energia. A produção de peixe precisa da eletricidade para fazer a oxigenação da água e o setor leiteiro necessita manter os resfriadores de leite ligados.

Gerador ligado há mais de 35 horas para manter ventilação no aviário (Foto: reprodução)

Neste domingo a Copel informou que ainda havia 49 mil clientes sem energia em todo o Estado, sendo 39 mil na região Noroeste e cerca de 6 mil no Oeste do Estado. 

Informações atualizadas às 18h30 pela Copel

Equipes da Copel seguem em campo com reforços vindos de outras regiões a fim de restabelecer o fornecimento de energia aos consumidores que tiveram o serviço interrompido após o temporal do fim de semana. No auge das chuvas, 473 mil domicílios chegaram a ficar sem energia, em todo o Paraná. Este domingo (24) iniciou com 64 mil imóveis sem luz no Estado, número que foi reduzido a 33 mil ao longo do dia. Destes, 21 mil domicílios são do município de Maringá, o mais severamente atingido. Apenas em Maringá, até agora foram contabilizados 72 postes quebrados.

Em toda a região Noroeste ao menos 166 postes quebraram com os ventos fortes e a queda de árvores sobre as redes elétricas. Ao longo da tarde de hoje, foi possível normalizar o fornecimento ao município de Mirador, que chegou a ter o serviço completamente interrompido devido à quebra de postes pelo temporal. Há, no entanto, ocorrências ainda para atendimento em cidades como Floraí, Jardim Olinda, Esperança Nova e Doutor Camargo. Em Paranavaí há 685 domicílios sem luz, e 270 em Cianorte. 

Na região Oeste, o número de clientes sem luz reduziu para 4,1 mil, e as equipes continuam na região, concentrando esforços no município de Maripá, atingido por uma chuva de granizo. As regiões Noroeste e Oeste do Estado já estão com reforço de equipes de outras localidades neste domingo, e receberão novas equipes vindas de outras regiões nesta segunda-feira (25).

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM ECONOMIA
Franquia:
Maringá PR
Franqueado:
SPOT COMUNICACAO DIGITAL LTDA
37.794.547/0001-16
Editor responsável:
Victor Faria / Amaro de Oliveira / Anderson Lopes
contato@mga.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.