AO VIVO
Opinião

No Corinthians, só não pode chuteira verde

Clube multa Jô por usar modelo nas cores do rival Palmeiras, mas nada fez quando o jogador foi para um resort no meio da pandemia

Neto del Hoyo - Dois Toques/HojeMais Maringá 
21/06/21 às 10h03

Eu adoro chuteiras pretas. Já escrevi sobre isso, por sinal. Questão de gosto mesmo, nada a ver com qualquer filosofia saudosista que aponte para o futebol, como dizem, “raiz”. Eu prefiro as chuteiras pretas e básicas. Ponto.

Mas segundo a regra não escrita desse mesmo “futebol raiz”, um jogador do Corinthians jamais poderá usar uma chuteira verde, que é a cor do Palmeiras, maior rival do alvinegro. E foi baseado numa regra não-escrita que a diretoria do Timão resolveu multar o atacante Jô por usar uma chuteira verde no empate sem gols e sem graça contra o Bahia, em Salvador. Embora a Nike, fabricante do produto, afirme que o modelo é classificado como azul pela cor predominante, a chuteira da discórdia tem detalhes que remetem a um 'verde-fluorescente'. 

Entendo que o torcedor tem suas próprias regras, manias e superstições. E quem sou eu para julgar tradições e rivalidades? Nessa lógica, mancadas viram pecados, ainda mais cometidos por gente como Jô, um legítimo filho do terrão corintiano. 

Quem pratica ou acompanha qualquer esporte que necessite calçado adequado sabe que ninguém usa chuteiras novas sem antes ter treinado com elas para amaciar. E foi exatamente isso que Jô fez durante toda semana. Lá estava ele com as chuteiras da discórdia, mas ninguém do clube o reprimiu ou lembrou da “regra não-escrita”. 

Sem julgar tradições e rivalidades, fica claro que o clube quer mudar de assunto. Desviar o foco é a preocupação do Corinthians que em pouco mais de uma hora após mais um jogo ruim revelou a multa pelas tais chuteiras verdes, mas não multou Jô quando ele foi para um resort no meio da pandemia e até agora não se manifestou sobre sua condição física que parece cada vez pior. 

Estão pegando no pé do Jô. Literalmente. Mas enquanto as críticas se resumirem ao seu par de chuteiras, até ele ficará agradecido.

"O São Paulo liberou Daniel Alves para as Olimpíadas e o presidente Casares alegou ser esse “um sonho do jogador”. Em tempo: o clube deve R$ 12 milhões ao lateral

LUCAS LIMA DEVERIA ERROU, CLARO. MAS O PALMEIRAS TAMBÉM

Fossem as coisas como deveriam ser ao invés de serem como são, Lucas Lima deveria ser demitido por ‘justa causa’ do Palmeiras. Foi completamente irresponsável ao ir para uma balada clandestina e colocar em risco seus companheiros de clube em tempos de Covid. 

O Palmeiras acertou em anunciar seu afastamento por tempo indeterminado e que pensa numa punição. Mas errou feio ao sequer a cena de violência em que o meia é cercado por supostos torcedores, quase todos sem máscara assim como ele. O Palmeiras, mais uma vez, repete o “protocolo” dos clubes brasileiros e fecha os olhos para ameaças física e psicológica que seus jogadores sofrem.

Nada justifica o erro de Lucas Lima. Mas é preciso separar as coisas, lutar contra a violência e não se calar diante da selvageria. Isso se fossem as coisas como deveriam ser ao invés de serem como são.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM OPINIÃO
Franquia:
Maringá PR
Franqueado:
SPOT COMUNICACAO DIGITAL LTDA
37.794.547/0001-16
Editor responsável:
Victor Faria
contato@mga.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.