Política

"Investir em uma cidade mais ativa é economizar em saúde", disse Mário Verri

Vereador reeleito afirma que, se prefeito se mantiver na postura que teve no primeiro mandato, ele será situação; petista é a favor do aumento de vereadores e tem foco na cultura, esporte e lazer

Victor Faria - HojeMais Maringá
20/11/20 às 14h41

O HojeMais Maringá contatou todos os vereadores eleitos para responderem nove perguntas formuladas pela nossa equipe de jornalismo. As perguntas foram exatamente as mesmas para todos os vereadores eleitos e abordam visões políticas, análises do legislativo, fiscalização ao executivo e proposições de leis.

Confira a entrevista com o vereador reeleito Mário Verri (PT):

HojeMais Maringá - Você se considera situação, oposição ou independente ao prefeito reeleito Ulisses Maia? 

A minha postura sempre foi a favor do que é melhor para a população. Inclusive, tivemos candidato próprio nas Eleições deste ano e não apoiamos a reeleição de Ulisses Maia. Mas entendo que se o prefeito mantiver a mesma postura do atual mandato, nosso próximo mandato será na situação. 

Qual a principal bandeira que você vai defender na próxima legislatura?

Desde o meu primeiro mandato, em 2005, defendo as bandeiras da cultura, esporte e lazer, porque entendo que investir em uma cidade mais ativa é economizar em saúde. A própria Organização das Nações Unidas (ONU) já se manifestou sobre o assunto, dizendo que de cada R$ 1 investido no esporte, outros R$ 3 são economizados na saúde pública. São áreas extremamente importantes que ajudam na integração social e no combate a inúmeras doenças, como obesidade, problemas cardiológicos, diabetes, hipertensão, entre outras enfermidades resultantes do sedentarismo. 

Qual será o primeiro projeto que vai ser apresentado por você na Câmara?

Tenho muitas ideias para o mandato que se inicia em 2021, porém, irei discutir todas elas com os meus assessores no início de dezembro. No entanto, reforço que a minha atuação será sempre a partir das solicitações apresentadas pelos moradores, que sabem melhor do que ninguém quais as reais demandas do município. 

É a favor do aumento de vereadores no município? Por quê?

Sim, sou favorável. Maringá cresceu muito nos últimos anos e precisa de maior representatividade. E por lei, cidades com mais de 400 mil habitantes podem ter até 23 parlamentares, então a ampliação vai acontecer em algum momento, no futuro. Eu sei que o assunto é polêmico, por causa do aumento dos gastos públicos. Mas defendo que é possível ampliar as cadeiras do Legislativo sem aumentar as despesas. É que o Executivo repassa 5% da receita anual para o Legislativo e há anos só gastamos 3%. Em 2018 devolvemos mais de mais de R$ 5 milhões para prefeitura e em 2019, pouco mais de R$ 3 milhões. Também entendo que ter mais vereadores significa mais bairros atendidos e consequentemente, muito mais benefícios os moradores. 

Como avalia os quatro primeiros anos de governo de Ulisses Maia?

Tivemos muitos avanços na gestão Ulisses Maia, tanto é que a boa administração foi reconhecida nas urnas pela população. Destaco algumas conquistas importantes aos servidores públicos que acompanhei de perto, como o pagamento da Trimestralidade, reposição salarial em todos os anos e o pagamento do vale-alimentação, uma reivindicação antiga da categoria. Na Secretaria de Esportes e Lazer de Maringá (Sesp), ressalto como uma grande conquista o reenquadramento dos técnicos desportivos no grupo de Ensino Superior e a alteração da nomenclatura do cargo deles para “Profissional de Educação Física”.  A mudança aconteceu no início deste ano, após muitas reuniões junto ao Executivo e a Sesp. Participei até de uma comissão formada para discutir o assunto e os trabalhos foram muito produtivos.

Também entendo que as melhorias realizadas em espaços públicos maringaenses foram muito boas para a população. Os bairros estavam abandonados, sem opção de lazer para as crianças e as famílias. Então, a instalação dos parquinhos infantis modulares e dos parques de cordas em diversas regiões da cidade foram muito importantes. Destaco algumas solicitações minhas que foram atendidas com esses brinquedos, na praça dos Sertões na zona 04, Praça Elídio Neto Laranjeiro do jardim Novo Oásis, no Parque Alfredo Nyffeler (Buracão), na Vila Esperança, Parque Residencial Cidade Nova e no jardim Nevada. O projeto Meu Campinho também foi uma grande conquista da atual gestão, inclusive o primeiro instalado no município foi no jardim Novo Oásis, a partir da minha indicação. 

Qual o maior acerto e o maior erro do prefeito nos últimos quatro anos?

Penso que a atual gestão acertou na valorização dos servidores públicos, que nas gestões anteriores foram deixados de lado. Já citei em outra resposta algumas conquistas importantes dos profissionais. Quanto ao erro, entendo que faltou diálogo desde o início da pandemia por parte da prefeitura. O primeiro decreto pegou todo mundo de surpresa e não foi só a população, mas também nós vereadores da Câmara de Maringá. O Executivo precisa conversar mais com o Legislativo sobre as decisões relacionadas ao novo Coronavírus. Não podemos ser radicais com alguns setores. A economia maringaense sofre com isto. Todos os segmentos precisam ser ouvidos e, antes de qualquer decisão, que as consequências dos atos sejam refletidas. Isto vale para qualquer outra medida adotada pela prefeitura que interfere de forma direta na situação econômica do município. 

Houve uma renovação de 46% da câmara. Como você avalia essa mudança que vem?

A mudança era esperada e estava dentro do que nós, atuais vereadores, imaginávamos. Oito colegas, incluindo eu, fomos reeleitos. Os novos eleitos somarão esforços em prol da população no próximo mandato. A volta de duas mulheres como vereadoras também é positivo. 

Prevê alguma política pública voltada para as mulheres? Quais?

Trabalho com a inclusão ou direcionamento de políticas públicas para todos os públicos e não por gênero. Os projetos de lei que apresento abordam temas sobre qualidade de vida, incentivo a pratica de atividade física e inclusão social, da infância até a terceira idade. São iniciativas relacionadas à cultura, esporte e lazer, nas suas capacidades transformadoras que possibilitam uma vida mais saudável aos moradores, além de reduzir os gastos com saúde pública. Quanto às políticas públicas voltadas às mulheres, não tenho dúvidas de que são necessárias e que serão muito bem trabalhadas pela vereadora eleita Ana Lúcia Rodrigues (PDT), a quem tenho muita admiração. Inclusive, lamento que a professora Vilma (PT) não tenha sido eleita como vereadora pelo Partido dos Trabalhadores. Ela fez excelente votação nas Eleições deste ano, um total de 2.025 votos, o que mostra a força feminina dela na política local.   

Qual será, no seu ponto de vista, os maiores desafios do legislativo maringaense entre 2021-2024?

Temos um problema de Mobilidade Urbana muito grande, que sempre será um desafio para qualquer gestão. Precisamos de mais ciclovias, fazer novas ligações de bairros, ter um transporte coletivo eficiente e com preço acessível, diminuir o número de veículos nas ruas e conscientizar melhor os motoristas para reduzir acidentes com mortes e feridos. Sinto que estamos no caminho e que os avanços na gestão do Ulisses Maia foram bons. Porém, precisamos ir muito além, principalmente nas melhorias das pistas de caminhadas. Outro exemplo é a ciclovia da Avenida Tuiuti, uma demanda antiga daquela região da cidade, que cresceu muito nos últimos anos. Fiz essa solicitação há muito tempo e estou aguardando respostas do Executivo. A ligação será até a Avenida Horário Racanello. 

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍTICA
Franquia:
Maringá PR
Franqueado:
SPOT COMUNICACAO DIGITAL LTDA
37.794.547/0001-16
Editor responsável:
Victor Faria / Kris Schornobay / Amaro de Oliveira
contato@mga.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.