Viver Mais

Moxaterapia: A Cura pelo Fogo

O terapeuta de base na medicina tradicional chinesa, Sandro Rogério de Souza, é um dos poucos profissionais do Noroeste Paulista que domina a técnica do “Moxabustão”.

REVISTA FALA! OUTUBRO DE 2019 - Hugo Leonardo
13/11/19 às 15h17
CLEBER CARVALHO

O terapeuta de base na medicina tradicional chinesa, Sandro Rogério de Souza, é um dos poucos profissionais do Noroeste Paulista que domina a técnica do “Moxabustão”.

“A Moxaterapia ou Moxabustão é uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa. Baseia-se nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura, sendo amplamente utilizada nos sistemas de medicina tradicional chinesa”, revela ele. 

Cada vez mais, a Moxaterapia torna-se um recurso valioso para tratamentos, principalmente da dor.  “O que não se cura com a acupuntura, se trata com moxa!”, diz. 

A técnica consiste em aquecer pontos específicos pela queima de ervas tais como artemísia. Atua como poderoso descongestionante de bloqueios energéticos e é um poderoso recurso terapêutico preventivo de dores em geral, tais como torcicolos, tendinites e outros.

“A artemísia produz um aquecimento muito particular com efeitos profundamente benéficos e terapêuticos no corpo humano. Eu trabalho com a técnica chamada lã de moxa, ou simplesmente moxa.  Ela tem a propriedade de aquecer profundamente e, através do calor, remover obstruções dos meridianos, eliminando a umidade e o frio que promovem disfunções no organismo”, explica Sandro.

A Moxaterapia é indicada para vários tratamentos como: nervo ciático, miomas, cistos, burcite, tendinite, dor lombar, hérnia de disco, impotência sexual, frigidez, friagem corporal, dores musculares, relaxamento físico e mental, estresse, ansiedade, constipação, insônia, dores nos joelhos, asma, problemas digestivos, dores nas costas, resfriado, sinusite e problemas menstruais.

Uma Terapia Complementar

Segundo os princípios de tratamento, as técnicas de moxabustão procuram tonificar as doenças crônicas de frio. O calor remove a congestão dos vasos sanguíneos e move o QI (energia) e o sangue, que finalmente remove a dor; tem efeitos gerais de vasodilatação, aumentando a circulação, potencializando a nutrição e a atividade dos Zang Fu (órgãos/vísceras). Os resíduos metabólicos são removidos diminuindo, assim, o espasmo muscular e a dor. O aroma da moxa incandescente e das outras ervas pode sedar o paciente.

O tratamento com moxa sobre os pontos de acupuntura produz uma condução de calor diretamente para os tecidos mais profundos por meio das agulhas, podendo assim, aliviar a dor por vias diferentes:

1. O calor diminui a viscosidade do sangue, aumentando o fluxo sanguíneo local, diminuindo a dor. A diminuição da viscosidade também aumenta a extensibilidade do colágeno, torna mais fácil alongar os tecidos fibrosos e consequentemente alivia a dor.

2. O calor aumenta o metabolismo e a taxa metabólica. Isto leva a um aumento da atividade celular, acelerando o processo de restauração e cura; e a um aumento dos produtos do metabolismo, promovendo dilatação dos pequenos vasos sanguíneos e a aceleração da circulação.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM VIVER MAIS
Franquia:
Andradina SP
Franqueado:
FLAVIA REGINA DE AVELAR GOMES 25180990858
14.225.543/0001-11
Editor responsável:
Flavia Gomes Mtb 8.016/MG
Email: ointeriorfala@gmail.com
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.