Geral

Vacinar é um ato de proteção!

Quem recebe uma vacina , protege a si mesmo e a comunidade !

REVISTA FALA! SETEMBRO 2018 - Flávia Gomes
11/10/18 às 12h13
(Cleber Carvalho)

 Em tempos de ressurgimento de doenças como o sarampo e o risco de reintrodução de outras como a poliomielite, é muito importante falar sobre vacinação. A responsável técnica pela Clínica Regional de Vacinas Camargo e Barros, a médica especialista em Medicina Preventiva e Social, Dra Sandra Camargo de Barros Oliveira, fala da importância da vacinação.

 Dra Sandra comenta que historicamente, devido a programas de vacinação serem dirigidos principalmente a crianças, uma grande parcela da população desconhece que há vacinas para todas as idades. “Não vacinar é baixar a guarda, é expor-se individual e coletivamente a ter uma doença que era passível de ser evitada”. 

 Vacina é prevenção! Mesmo que haja um risco baixo da ocorrência de determinada doença, não vale a pena arriscar. “Adoecer é grave sempre, seja para um, seja para muitas pessoas. Assim, informar-se sobre todas as vacinas existentes é fundamental, para que se possa decidir, e não lamentar por desconhecimento”, reforça Dra Sandra. Ao médico especialista cabe dar a orientação adequada a todas as pessoas.

 Mitos e Verdades

 Dra Sandra fala de alguns mitos e verdades sobre vacinas.

Vacinas podem causar doenças? MITO: As vacinas são produzidas de tal forma que são mortas, inativadas ou atenuadas, portanto desde que bem indicadas, só induzem a proteção imunológica.

Só crianças e idosos devem receber vacinas? MITO: Não. Há vacinas específicas e necessárias para cada faixa de idade. Adolescentes, por exemplo, fazem parte de um grupo com risco importante para a transmissão de meningites, HPV, etc.

 Para uma população estar protegida contra o sarampo, mais que 95% das crianças devem estar imunizadas? VERDADE.

 Há vacinas diferentes nas clínicas particulares das vacinas da rede pública? VERDADE: Algumas vacinas disponíveis na clínica particular não são ofertaras pela rede pública devido à critérios específicos de vacinação coletiva. Exemplos: vacina contra meningite meningocócica tipo B e a vacina contra Herpes Zóster, para os acima de 50 anos.

 Dra Sandra Camargo de Barros Oliveira é médica, com formação, residência médica e título de especialista em Medicina Preventiva e Social pela Faculdade de Medicina UNESP - Botucatu.

 É membro da Sociedade Brasileira de Imunizações e responsável técnica pela Clínica Regional de Vacinas Camargo e Barros, em Andradina.

Vacinar: atitude que protege não só quem se vacina, mas a toda a comunidade!!!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 COMENTÁRIOS
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM GERAL
Franquia:
Andradina SP
Franqueado:
FLAVIA REGINA DE AVELAR GOMES 25180990858
14.225.543/0001-11
Editor responsável:
Flavia Gomes Mtb 8.016/MG
Email: ointeriorfala@gmail.com
Todos os direitos reservados © 1999 - 2018 - Grupo Agitta de Comunicação.