Unisalesiano

Medicina do Unisalesiano inicia atividades do internato na Santa Casa e UBSs de Araçatuba

Objetivo primordial é ampliar e aprimorar os conhecimentos e atitudes adquiridas ao longo do curso

Unisalesiano*
25/01/22 às 15h15
(Foto: Divulgação)

O curso de medicina do Unisalesiano deu início às atividades do internato dos acadêmicos que estudam no 9º termo, no dia 17 de janeiro. O estágio curricular obrigatório é realizado na Santa Casa e nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Araçatuba (SP). 

O coordenador do curso de medicina, Dr. Antônio Henrique Poletto, explicou que o internato tem caráter eminentemente prático – período onde ocorre a translação do ensino médico para que o acadêmico possa habilitar-se profissionalmente.

“O objetivo primordial é ampliar e aprimorar os conhecimentos e atitudes adquiridas ao longo do curso, além das habilidades, responsabilidades e deveres éticos do médico, que são indispensáveis para o exercício da medicina”, destacou.

Poletto ressalta que o internato é realizado nos últimos dois anos do curso e os alunos são submetidos a avaliações formativas e somativas no departamento de atuação e também na faculdade. “Importante frisar que cada grupo de cinco alunos tem o acompanhamento de um professor, durante as atividades no hospital e nas UBSs”, disse.

O médico e docente do curso de medicina do Unisalesiano, Dr. Rafael Saad – que atua como coordenador do estágio de enfermaria em clínica médica – considera o internato a parte mais importante da graduação.

Segundo ele, os conhecimentos, habilidades e atitudes aprendidas do primeiro ao quarto ano são fundamentais, mas é no Internato que o aluno de Medicina poderá aplicar as bases adquiridas no cuidado dos pacientes e desenvolver competências para se tornar um bom médico.

“Os grupos estão sob supervisão dos médicos residentes e professores, com os quais discutem sobre os sintomas, exames complementares, diagnóstico e tratamento dos pacientes nas diversas unidades de saúde do município”, explicou.

As principais áreas básicas estão contempladas, neste momento de formação, em: Clínica Médica, Cirurgia, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Saúde da Família e Comunidade, e Urgência e Emergência.

Acadêmicos relatam a importância do aprimoramento nos últimos dois anos da graduação

Aluno Eduardo Geomoro (Foto: Divulgação)

Os alunos do 9º termo do Curso de Medicina do UniSALESIANO, Giovani Pinoti Mendonça, Eduardo Alexandre Geumaro e Angélica Oliveira Ramos, contam, abaixo, como está sendo a experiência nesse início de Internato:

– Qual a sensação de chegarem ao Internato?

Giovani – A sensação de chegar ao Internato é de gratidão, pois se passaram quatro anos de graduação e conseguimos observar a evolução como ser humano e como acadêmico. Hoje, quando olhamos para trás, vemos todo o caminho que foi construído, e que em meio a tantas dificuldades e obstáculos, conseguimos atingir um dos objetivos e dar início a mais uma etapa. O próximo objetivo é que a gente consiga crescer cada vez mais, e que essa nova fase seja repleta de foco, aprendizado, respeito e comprometimento.

Eduardo – Um misto de realização e desafio. Porém, sinto que a base que tivemos até aqui nos preparou bem para aproveitarmos as oportunidades de aprendizagem.

Angélica – Considero que não somos nós que escolhemos essa profissão, mas sim, a própria Medicina que encontra as pessoas certas, e eu tenho orgulho de ser uma dessas. É sempre bom relembrar que quando formalizamos um objetivo, abdicamos de muitas outras sensações. Chegar ao Internato é a concretização de um sonho, pois, nele, lidamos realmente com os procedimentos médicos e aplicamos todo conhecimento que obtivemos durante quatro anos, e nossa faculdade nos preparou bem para este momento.

– O que vocês esperam dessa fase?

Giovani – Eu espero que seja uma fase de muito aprendizado, muito foco, muito respeito para com todos e muito comprometimento; uma fase em que a gente possa colocar em prática todos os ensinamentos que tivemos durante os quatro anos que se passaram. Além disso, espero que seja uma fase em que todos possamos aprender muito com nosso grupo de alunos, com os pacientes e com os nossos superiores. Espero que, ao final do Internato, estejamos preparados para dar início a nossa vida profissional, priorizando sempre a saúde do paciente como um todo e tratando-o com empatia.

Eduardo – Principalmente o contato com o paciente, acredito que é através desse contato que o médico realmente se forma. Espero também aproveitar a oportunidade de observar a conduta profissional dos médicos e toda equipe de saúde, para daí tirar aquelas condutas que quero adotar e aquelas que quero evitar quando formado.

Angélica – O internato é o aperfeiçoamento verdadeiro de um aluno que se dedica e sempre acredita no melhor. Eu espero aprender muito e aproveitar todo conhecimento que meus preceptores têm a nos oferecer, onde irão nos preparar muito bem para sairmos excelentes profissionais. Saber que a vida de uma determinada pessoa está em suas mãos, além de efetivar a extrema responsabilidade da profissão, condiz com o poder de atuação do que foi apreendido ao longo dos anos de formação, aplicando os conhecimentos adquiridos, e ajudar esse indivíduo é o verdadeiro significado para a literalidade que é a palavra “vida”.

– Quais áreas irão atuar e em quais locais?

Giovani – Nesse período que se inicia (9º período), iremos passar por três estágios: unidade básica de saúde (UBS); pediatria; e saúde do adulto (que envolve a clínica médica, cirurgia e anestesia).

Eduardo – Nesse primeiro momento do Internato, passarei pelo centro cirúrgico, nas áreas da cirurgia e anestesiologia.

Angélica – Neste momento, estamos passando pela área de cirurgia geral, acompanhando cirurgias, “colocando a mão na massa”; na enfermaria cirúrgica, passando visitas junto ao preceptor e residentes; depois passaremos pela anestesiologia.

– Qual a sensação de terem participado de uma cirurgia? Conte-nos como foi feita?

Giovani – A primeira vez que participei de uma cirurgia foi no 1º ano de faculdade. Foi uma cirurgia ortopédica, uma área que eu admiro muito e que sempre me despertou muito interesse. Ao participar da cirurgia, o sentimento foi de alegria e gratidão pela oportunidade, pois naquele momento, foi apenas mais um, de muitos, em que eu tive certeza de que estava cursando o que eu queria para a minha vida.

Eduardo – Empolgado. A primeira que participei foi uma cirurgia neurológica de emergência. Era uma fratura cervical. Acompanhei o anestesiologista no procedimento de uma anestesia geral. Para um interno, todo esse processo é uma grande novidade, mas ao mesmo tempo um desafio empolgante.

Angélica – Vou guardar eternamente essa primeira participação como uma das minhas memórias mais felizes até então na minha vida, este é o sentimento. Estou apaixonada pela cirurgia e é uma das minhas escolhas, até então, para residência. Acompanhei e auxiliei meu preceptor em uma cirurgia de colecistectomia, apendicite. Acompanho todas as cirurgias do dia, com explicações dos preceptores. É incrível, estou cada dia mais feliz e realizada por toda essa trajetória.

“Mais Médicos” possibilita parceria entre UniSALESIANO, Santa Casa e Prefeitura de Araçatuba

(Foto: Divulgação)

A concretização do internato da 1ª turma de medicina do Unisalesiano na Santa Casa e nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Araçatuba é possível graças ao “Programa Mais Médicos”, do governo federal.

O Pró-Reitor de Ensino, Pesquisa e Pós-Graduação, Prof. André Ornellas, citou a Portaria 1.134, de 31 de outubro de 2017, que autorizou o curso de Medicina, bacharelado, a ser ministrado pelo Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium – UNISALESIANO, juntamente com a Santa Casa e a Secretaria de Saúde de Araçatuba, que se ofereceram para implantar o curso junto com a instituição escolhida pelo MEC.

“O município de Araçatuba foi selecionado dentre um universo de 216 cidades brasileiras e vem proporcionando desenvolvimento educacional, econômico e, principalmente, melhorias na área da saúde para pacientes de toda a região”, destacou Ornellas.

A Secretária de Saúde de Araçatuba, Carmem Guariente, destacou que a interação entre o serviço, que são as UBSs, e o ensino, no caso, o UniSALESIANO, é uma das diretrizes do SUS (Sistema Único de Saúde). “Momento em que os alunos vivenciam o cotidiano de atendimento médico e multiprofissional. É importante porque ganham ambos os lados”, disse.

Isso porque, segundo Carmem, a equipe de saúde é motivada pelos questionamentos e informações novas apontados pelos alunos e eles recebem a experiência dos profissionais. “São situações importantes para a valorização e melhoria da saúde pública”, completou a secretária.

Por sua vez, o Diretor Técnico da Santa Casa de Araçatuba, Giulio Stanco Coscina Neto, avalia que a parceria garante evolução na área médica. “A busca pelo aprendizado dos alunos e a atualização dos médicos e de todo corpo clínico do hospital trata-se de um benefício para todos”, salientou.

O diretor comemora ainda o fato de a Santa Casa estar no caminho para se tornar um Hospital-Escola, dependendo, agora, da publicação de um decreto pelo governo federal. “Graças ao internato dos alunos de Medicina do UniSALESIANO, haverá a transformação da Santa Casa para um Hospital-Escola, que vai possibilitar mudanças benéficas no faturamento de AIHs (Autorização de Internações Hospitalares) e aumento da complexidade da instituição”, concluiu.


(Foto: Divulgação)

Sobre o Unisalesiano

Em Araçatuba, o Unisalesiano está localizada na rodovia Teotônio Vilela, 3821, Jardim Alvorada. O telefone é (18) 3636-5252 e o e-mail é unisalesiano@unisalesiano.com.br

*O conteúdo é de responsabilidade do anunciante

Endereço: Rod. Sen. Teotônio Vilela, 3821 - Bairro: Alvorada - Araçatuba - SP, 16016-500 
 
Horário: 08:00 as 20:00
 
Fone: (18) 3636-5252

 MAIS DE UNISALESIANO
VEJA TODAS DE UNISALESIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.