Cotidiano

Estado de São Paulo terá restrição de circulação no período noturno

Medida é válida diariamente no horário das 23h às 5h, a partir da próxima sexta-feira, até 14 de março

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
24/02/21 às 12h48
Imagem: Reprodução

*Matéria atualizada às 14h40 para incluir informações

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (24), que será implantado na próxima sexta-feira (26), o toque de restrição de circulação em todo Estado no horário das 23h às 5h.

A medida, válida inicialmente até o dia 14, tem como objetivo conter o avanço da pandemia, diante do recorde de internações de pacientes em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Segundo o governador, essa restrição já é adotada em outros países, inclusive de primeiro mundo, e é alternativa diante do atual cenário.

Durante a coletiva, foi deixado claro que não se trata de um lockdown e nem da implantação de um toque de recolher, já que os serviços essenciais, inclusive o transporte público em cidades que o serviço é oferecido após as 23h, serão mantidos normalmente.

Questionado por uma repórter se serão aplicadas multas em pessoas que forem flagradas em festas, por exemplo, durante o horário restrito, Doria afirmou que não. “Não, os indivíduos não serão multados. Serão multados aqueles que promoverem festas e contrariando a recomendação sanitária e orientação de lei de determinação para não promoverem festas”, explicou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Centro de Contingência

O aumento das restrições do Plano São Paulo havia sido anunciado na segunda-feira (22) e atende recomendação expressa do Centro de Contingência do coronavírus para conter a aceleração da pandemia.

Ao anunciar as mudanças, o governo do Estado deixou claro que o objetivo é combater os encontros realizados principalmente entre jovens no período noturno e as festas clandestinas.

Assim, os serviços essenciais funcionarão normalmente e não haverá advertência, multa ou impedimento à circulação de trabalhadores nos horários restritos. “Na prática, o governo do Estado vai endurecer a fiscalização contra aglomerações em qualquer horário e eventos ilegais ou proibidos aos finais de noite e madrugadas”, reforça nota distribuída à imprensa.

Internações

O coordenador do Centro de Contingência, Paulo Menezes, informou que houve aumento significativo no número de internações em São Paulo nas últimas semanas, chegando a 6.657 pacientes internados em leitos intensivos no início desta tarde.

Ele argumentou que se nenhuma providência for tomada, em aproximadamente três semanas poderão se esgotar os leitos de UTI. E o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn, reforçou que se não forem tomadas medidas restritivas, o impacto na saúde será sentido em 22 dias.

Imagem: Reprodução

Fiscalização 

Uma força-tarefa foi determinada pelo governo do Estado para ampliar a fiscalização das equipes de Vigilância Sanitária em conjunto com as prefeituras.

Essa fiscalização terá apoio de equipes do Procon e da Polícia Militar, que atuarão de forma conjunta para coibir o funcionamento de estabelecimentos não essenciais e de eventos ilegais no horário de restrição.

No caso do Procon, os agentes de fiscalização vão multar comércios e empresas que descumprirem as regras do Plano São Paulo. 

Blitz 

Com relação à Polícia Militar, foi informado que inicialmente poderão até ser feitos bloqueios em vias de grande fluxo num primeiro para orientar as pessoas. 

 “Esperamos obter bons resultados pela conscientização das pessoas e pelas soluções administrativas antes das penais. Agora, nós faremos blitz sim, com o objetivo de orientar. E quem sabe mais à frente, de controlar”,  alertou o secretário de Segurança Pública do Estado, coronel João Camilo Pires de Campos. 

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.