Cotidiano

Estado define OSSs que substituirão investigada na Operação Raio X

A AHBB, que gerencia a Santa Casa, o pronto-socorro e o Hospital de Campanha de Penápolis atendeu à convocação pública, mas não foi aprovada

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
30/10/20 às 17h43
O Hospital Geral de Carapicuíba está entre os seis serviços que terão o contrato de gestão rompido com a Santa Casa de Pacaembu (Foto: Divulgação)

A Secretaria de Estado da Saúde definiu as OSSs (Organizações Sociais de Saúde) que assumirão os contratos de gestão dos serviços de Saúde atualmente sob comando da Santa Casa de Misericórdia de Pacaembu, investigada na Operação Raio X, da Polícia Civil de Araçatuba (SP).

Conforme publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (30), as qualificadas foram o Cejam (Centro de Estudos e Pesquisas) Dr. João Amorim e a Fundação do ABC.

Os serviços que terão os contratos rescindidos com a Santa Casa de Misericórdia de Pacaembu são os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de Carapicuíba, de Santos e de Sorocaba; o Hospital Geral de Carapicuíba; o PAI (Polo de Atenção Intensiva) em Saúde Mental da Baixada Santista; e o Centro de Medicina de Reabilitação Lucy Montoro, de Santos.

Convocação

A convocação pública para contratar as substitutas foi feita no Diário Oficial do Estado da última terça-feira (20), apenas para as entidades privadas sem fins lucrativos com qualificação como Organização Social de Saúde no Estado.

O prazo de seleção terminou na terça-feira (27) e a publicação no Diário Oficial não informa quando os novos contratos serão assinados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Selecionadas

O Cejam foi selecionado para assinar os contratos de gestão do AME de Carapicuíba, o Centro de Medicina de Reabilitação Lucy Montoro e o Hospital Geral de Carapicuíba.

Já a Fundação do ABC será responsável pelos AMEs de Santos e Sorocaba e pelo Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental da Baixada Santista.

AME Carapicuíba

No caso do AME de Carapicuíba, houve cinco interessadas. As outras foram a Associação Beneficente Hospitalar São Camilo – Peritiba; o Insaúde (Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde); o ISG (Instituto Sócrates Guanaes); e a AHBB (Associação Hospitalar Beneficente do Brasil), que gerencia a Santa Casa e o Hospital de Campanha de Penápolis.

Segundo a pasta, o ISG e a AHBB não apresentaram o Plano Operacional para a gestão do ambulatório em tempo hábil e o Insaúde foi afastado.

AME Santos

Seis OSSs atenderam a convocação para gerenciamento do AME de Santos. As concorrentes da Fundação do ABC foram a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina); o Cejam; o Insaúde; a AHBB; e ISG.

Durante o processo de seleção, a SPDM declinou da participação e o Insaúde e a AHBB foram afastados.

AME Sorocaba

Para a gestão do AME Sorocaba também concorreram o Cejam; o Insaúde; a SPDM; e a AHBB, mas a SPDM e o Insaúde não entregaram o projeto assistencial e as documentações exigidas em tempo hábil. A AHBB foi afastada da convocação pública.

Lucy Montoro

Para o Centro de Medicina de Reabilitação Lucy Montoro o Cejam concorreu com a Fundação do ABC; Insaúde; AHBB; e o ISG.

Hospital Geral

Para o Hospital Geral de Carapicuíba também concorreram o Insaúde; a AHBB e o ISG.

Saúde Mental

Por fim, o contrato de gestão do Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental da Baixada Santista será assinado com a Fundação do ABC, que concorreu com o Cejam, o Insaúde, o ISG e a AHBB.

LEIA TAMBÉM
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.