Cotidiano

Prefeitura afirma que em Araçatuba não há atrasos de pagamentos no pronto-socorro

Administração municipal afirma que Araçatuba não está envolvida na Operação Raio X, apesar de a OSS Irmandade da Santa Casa de Birigui ser investigada

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
22/10/20 às 19h05
Irmandade da Santa Casa de Birigui administra o pronto-socorro de Araçatuba (Foto: Arquivo)

A Prefeitura de Araçatuba (SP) afirma que não há atrasos de pagamentos a funcionários, fornecedores e prestadores de serviços por parte da OSS (Organização Social de Saúde) Irmandade da Santa Casa de Birigui, que é responsável pelo gerenciamento do pronto-socorro municipal.

Alvo da Operação Raio X, deflagrada em 29 de setembro pela Polícia Civil de Araçatuba, a entidade é investigada por indícios de desvio de dinheiro público da área da Saúde.

Ela mantém contratos em diversos municípios e em Lençóis Paulista, onde administra a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), não pagou o salário dos médicos referente a setembro. A denúncia foi feita em reportagem do Jornal da Cidade de Bauru, publicada nesta quinta-feira (22).

Recebeu

Nela, consta que a Prefeitura fez o repasse mensal para a OSS, que pagou apenas os funcionários e alguns fornecedores, deixando de pagar alguns prestadores de serviço, entre eles os médicos.

Diante do atraso, a administração municipal informou que anteciparia nesta quinta-feira, o pagamento do salário de outubro aos médicos, que seria pago em novembro, e deve assumir os pagamentos a partir de agora. O município ainda tenta o rompimento amigável do contrato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sem atrasos

Ao ser informada sobre o atraso ocorrido em Lençóis Paulista, a Prefeitura de Araçatuba informou que desconhece o referido contrato, mas que, na cidade, ele vem sendo cumprido conforme os itens contratuais. “Ressalta-se que Araçatuba não está envolvida na Operação Raio X” , cita nota da assessoria de imprensa.

Ainda de acordo com a administração municipal, até o momento não há relatos de atraso de pagamento aos funcionários contratados pela OSS para trabalhar no pronto-socorro de Araçatuba.

Também não há tratativas em andamento com a Santa Casa de Birigui para assumir os pagamentos ou rescindir o contrato de forma amigável.

Questionada sobre possível prejuízo no atendimento à população e aos cofres públicos municipais, caso de entidade deixe de honrar os compromissos, como em Lençóis Paulista, a Prefeitura de Araçatuba argumenta que continua avaliando a prestação de serviço. “Como em todos os contratos, em caso de descumprimento será tomada as medidas necessárias”, finaliza a nota.

Valores

A Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Birigui venceu a chamada pública feita pela Prefeitura em 2018, para gerenciamento do pronto-socorro municipal e da Central de Regulação Médica.

Segundo a administração municipal, em 2019 foram repassados R$ 17 milhões à entidade, média de R$ 1,417 milhão por mês.

Até o início desde mês, o município havia repassado R$ 15.905.258,73 à OSS, incluindo um repasse de R$ 350,8 mil feito dia 5 e outro de R$ 100 mil, no dia seguinte.

LEIA TAMBÉM
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.