Cotidiano

Prefeitura de Birigui declara calamidade pública por falta d’água

Déficit se aproxima de 7 milhões de litros por dia; município está recorrendo a poços particulares para solucionar o problema no curto prazo

Aline Galcino - Hojemais Araçatuba
18/09/20 às 18h31

A Prefeitura de Birigui (SP) publicou, nesta sexta-feira (18), o decreto 6.750, que declara estado de calamidade pública devido à falta d’água no município. Para amenizar o problema no curto prazo, o Executivo irá recorrer a poços particulares que não estão sendo utilizados. No entanto, o pedido principal é para que os moradores utilizem água de forma sustentável.

De acordo com nota emitida pela assessoria de imprensa, o déficit de produção se aproxima de 7 milhões de litros por dia, o que gerou um grave problema de abastecimento público, com reclamações diárias em vários pontos da cidade.

Um dos motivos do déficit foi a queda de produção do poço profundo da Aqua Pérola, na avenida Nove de Julho, em virtude de um desabamento interno, o que impossibilita que ele volte a sua produção normal.

Esse problema técnico reduziu em 32% a produção do poço, o que significa aproximadamente 2,5 milhões de litros por dia. O poço é responsável pelo abastecimento de cerca de 30 mil habitantes. Com a queda, são cerca de 9 mil pessoas não atendidas.

Soma-se a essa queda, o déficit de abastecimento em Birigui que era estimado em 4,5 milhões de litros por dia em 2018.

 “Ainda se destaca o aumento no consumo de água devido a pandemia da covid-19”, explica o decreto, que cita também o aumento da temperatura, período em que o consumo é maior.

Decreto

O decreto autoriza o Poder Executivo a lançar mão da legislação vigente para atender às necessidades da situação declarada, inclusive requerer o uso de reservatórios particulares detentores de mina d’água, para reforço no abastecimento de água da cidade, interligando referidos reservatórios na rede de abastecimento de água do município.

O secretário de Meio Ambiente, Juliano Salomão, explica que essa medida dará agilidade na solução do problema no curto prazo, pois permitirá a compra de peças e serviços com rapidez.

Serão utilizados nesse primeiro momento poços particulares, principalmente os que estão em fábricas desativadas e não estão em uso no momento.

Segundo Salomão, a queda de produção do Aqua Pérola é de 100 mil litros de água por hora. Até o momento, o município conseguiu detectar sete poços que juntos têm capacidade de produzir 106 mil litros de água/hora, ou seja, poderão compensar essa perda do Aqua Pérola. Os proprietários desses poços, inclusive, já teriam colocado eles à disposição da Prefeitura.

“Outra medida é a utilização de um volume morto do reservatório Saudades (de aproximadamente 1,3 milhão de litros), que nunca foi utilizado. Melhorando a infraestrutura e processos de bombeamento, conseguimos na quarta, quinta e hoje, sexta-feira, utilizar esse volume morto. Essas ações, no curto prazo, irão minimizar o desabastecimento de água em Birigui”, explicou.

O pedido, no entanto, é para que a população economize. “A gente ainda vê muita gente lavando calçada, lavando carro. Não é o momento para isso”, disse.

O decreto tem vigência de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período se necessário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Licitação para abertura de novo poço está barrada

 

Enquanto muitos moradores ficam sem água nas torneiras, o município não consegue prosseguir com o processo licitatório para perfuração de novo poço profundo, no bairro Portal da Pérola 2, o que melhoria o abastecimento na cidade. O novo poço terá capacidade de produção de 8 milhões de litros por dia.

A licitação estava marcada para o dia 27 de julho, mas houve denúncias no TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) e na Justiça, o que acabou barrando o processo. Foi a segunda vez que a concorrência pública foi suspensa por problemas com os órgãos fiscalizadores. A primeira aconteceria em janeiro deste ano, mas também foi suspensa.

Sistema produtor

Atualmente Birigui possui três sistemas de abastecimento público, sendo o Centro de Produção e Reservação Novo Jardim Stábile, operado pela concessionária Aqua Perola; o Centro de Produção e Reservação do Jardim Aeroporto, operado pela concessionária Matéria; o Sistema de Captação Superficial do Ribeirão Baixotes, que é da Prefeitura. Além desses três sistemas, o município conta com 12 poços artesianos de baixa vazão, distribuídos pelos bairros.

O último grande investimento para aumentar a produção de água foi em 2003, com a perfuração do Poço Matéria, que tem vazão aproximada de 500 m³/h e é responsável pelo abastecimento de mais de 30 mil habitantes.

No entanto, nos últimos 20 anos, a população de Birigui passou de 94.300 habitantes (Censo do IBGE 2000) para 123.638 habitantes.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.