Polícia

Droga apreendida em avião interceptado pela FAB está avaliada em R$ 12 milhões

PF acredita que suspeitos atiraram na aeronave após o pouso forçado para incendiá-la e destruir provas; laudo preliminar deu positivo para a forma mais pura e mais cara da droga

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
04/07/22 às 11h07
Avião foi recolhido por um guincho e levado para o aeroporto de Jales (Foto: Divulgação/PF)

A Polícia Federal de Jales (SP) acredita que os ocupantes do avião que foi interceptado pela FAB (Força Aérea Brasileira) transportando pasta base de cocaína na tarde de domingo (3), tenham atirado contra a aeronave para provocar um incêndio e destruir as provas. Vídeos foram divulgados nas redes sociais das aeronaves passando pela região de Araçatuba. Isso teria ocorrido entre Guaraçaí e Murutinga do Sul.

O bimotor Beech Aircraft ano 1973 foi interceptado após entrar no espaço aéreo brasileiro pelo Estado do Mato Grosso do Sul. Os pilotos da FAB tentaram contato com o piloto do avião suspeito, que não respondeu às ordens de pousar, mesmo após disparos de tiros de advertência.

Diante disso, foram feitos outros tiros contra a aeronave, que fez um pouso de emergência em uma pista de terra ao lado de um canavial no município de Pontalinda, na divisa com Jales.

Fugiram

A Polícia Federal foi comunicada, mas quando as equipes chegaram no local o piloto e outro ocupante haviam fugido em direção a uma mata. Inicialmente foi divulgado que o avião transportava 500 quilos de pasta base de cocaína. Porém, após a pesagem, constataram haver 663 quilos da droga.

De acordo com a Polícia Federal, laudo preliminar de constatação deu positivo para Cloridrato de Cocaína, a forma mais pura e mais cara da droga. Calcula-se que o quilo desse entorpecente seja negociado de R$ 18 mil a R$ 20 mil. Assim, a carga apreendida somaria cerca de R$ 12 milhões.

Tiros

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (4), a PF informou que foram encontradas cápsulas de pistola 9 milímetros no local. “Os policiais desconfiam que talvez o piloto, no momento da abordagem, no intuito de ocultar as provas, ele mesmo atirou contra a própria asa da aeronave, com intuito de causar um incêndio e destruir todos os produtos ilícitos”, disse o delegado.

Ainda segundo a PF, buscas foram realizadas na região objetivando prender os ocupantes da aeronave. O trabalho foi feito com apoio de policiais militares de São Paulo e do Mato Grosso do Sul, com a participação de dois helicópteros das corporações.

O avião, com avarias, teve que ser transportado em um caminhão, com o apoio do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) até o aeroporto municipal de Jales, onde permanecerá à disposição da Justiça. 

As investigações serão conduzidas pela Polícia Federal em Jales.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.