Nova Era - Organização Contábil

Está endividado? Veja sete dicas para sair do vermelho em 2022

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o Brasil registrou maior número de endividados em 11 anos 

Nova Era Contábil*
08/02/22 às 19h00
(Foto: Reprodução/efetividade.blog)

O Brasil fechou 2021 com uma média de 70,9% das famílias brasileiras endividadas, segundo dados da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), divulgados em 18 de janeiro. Esse é o maior número em 11 anos. 

Para o especialista em educação financeira, Reinaldo Domingos, considerando que ao comprar parcelado as pessoas estão endividadas, a situação é muito mais complexa, sendo necessário que as famílias passem a adotar algumas estratégias. 

Nesse casos, o essêncial, segundo o especialista, é não entrar em desespero. É necessário analisar a situação por meio de um diagnóstico financeiro e assim sair definitivamente dessa situação.

"É preciso evitar fazer novas dívidas antes de quitar as já existentes, tomando cuidado para não entrar numa bola de neve. O primeiro passo é mapear essas dívidas para saber o tamanho do problema e isso exige coragem e determinação", aconselha.

Diante disso, confira sete orientações para sair definitivamente do vermelho e controlar os gastos com maior segurança e tranquilidade;

1.  É de extrema importância colocar na ponta do lápis todas as dívidas, separando as que correspondem a serviços e produtos de necessidade básica, que não podem ser cortados (como água, energia elétrica, gás e aluguel) e as que possuem o maior índice de juros (como cartão de crédito e cheque especial). Considere essas como prioridade para pagamento. Após realizar o diagnóstico, encontre as despesas mensais que possam ser diminuidas, fazendo sobrar dinheiro para pagar as dívidas em atraso e assim sair do vermelho;

2.  Durante 30 dias, anote todos os gastos que tiver, separando por tipo de despesa. Isso inclui gastos 'pequenos', que podem até ser considerado menos importantes, como gorjetas e guloseimas. No fim do período, será possível compreender de que forma seu dinheiro está sendo gasto. Reflita sobre os hábitos e comportamentos que o levaram a chegar nessa situação, assim saberá o que deve mudar e quais gastos irá reduzir ou eliminar;

3.  Tenha em mente que só se deve negociar uma dívida quando se tem condições de fazer isso, ou seja, somente após planejamento, pois um passo precipitado pode até piorar a situação. Só procure um credor, quando já souber quanto terá disponível mensalmente para pagar e, então, poder negociar;

4. Trocar uma dívida pela outra nem sempre é a melhor alternativa. É claro que o crédito consignado, por exemplo, oferece juros baixos em comparação ao cartão de crédito, cheque especial e financiamentos, já que o pagamento é retido diretamente do salário. Justamente por isso é preciso cautela, já que para quem está com dificuldade em administrar as finanças, ter sua renda habitual reduzida pode desencadear novos endividamentos e problemas ainda maiores, virando uma bola de neve;

5. Para não agravar a situação, antes de realizar qualquer compra, se faça algumas perguntas como "eu realmente preciso desse produto?", "o que ele vai trazer de benefício para a minha vida?", "estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência, baixa autoestima ou influência de terceiros?". Ao fazer isso, terá uma grande surpresa sobre a quantidade de coisas adquirida apenas por impulsividade;

6.  Em momentos de crise financeira, que são passageiros, é importante resgatar sonhos, objetivos que realmente importam e que farão a pessoa ter ainda mais motivos para "dar a volta por cima". É preciso relacionar no mínimo três sonhos: um de curto prazo (a ser realizado em até um ano), um de médio prazo (entre um a dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos), sendo que um deles deve ser o de sair das dívidas;

7. Com os números do diagnóstico financeiro em mãos, é possível conhecer a sua força de poupança após os cortes para realizar o sonho de sair das dívidas sem que tenha que fazer outra dívida. Mês após mês, é preciso aplicar esse dinheiro em um investimento que seja coerente ao tipo de objetivo (prazo) e ao perfil do investidor. Caso tenha dificuldade para investir, é válido consultar um especialista.

(Foto: Divulgação)

Sobre a Nova Era Contábil

O escritório Nova Era Contábil , localizado em Araçatuba (SP), conta com uma equipe especializada e pronta para ajudar empresários e empreendedores dos mais variados modelos de negócio.   

Faça uma visita e conheça as vantagens de ter uma assessoria completa para a sua empresa principalmente neste período de pandemia.

SERVIÇO

Rua Torres Homem, 146, Centro. Telefones: (18) 3117-5310 / 3624-6931. Email: novaeraata@contabilnovaera.com.br.

*O conteúdo é de responsabilidade do anunciante

Há mais de 26 anos, a Organização Contábil Nova Era marca presença no mundo dos negócios, oferecendo o que considera o mais importante produto de uma organização, o conhecimento.

Com uma equipe extremamente capacitada e preocupada em buscar constantemente o que há de mais novo no mercado, nosso objetivo é trazer um trabalho sério, competente, com o intuito de agregar valores e aumentar o capital intelectual de nossos parceiros (clientes), tornando suas organizações bem sucedidas e preparadas para conquistar o mercado. 

Endereço: R. Tôrres Homem, 146

Telefone: (18) 3117-5310

 MAIS DE NOVA ERA - ORGANIZAÇÃO CONTÁBIL
VEJA TODAS DE NOVA ERA - ORGANIZAÇÃO CONTÁBIL
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.