Gestare Vita

Você já ouviu falar em parto induzido? Conheça o procedimento

Entenda em quais situações a administração de hormônios para acelerar o trabalho de parto é indicada

Julia Rafaela - Hojemais Três Lagoas
30/09/19 às 09h53

A chegada de um o membro na família é motivo de celebração, alegria e muita preparação é claro, principalmente para as mamães, que tendem a se adaptar a um novo estilo de vida para garantir uma gravidez tranquila e saudável. Por isso é importante manter um acompanhamento médico adequado e de forma rigorosa, em específico durante o pré-natal. 

No entanto a gravidez pode se tornar um tanto quanto turbulenta para algumas gestantes, principalmente quando a mulher apresenta problemas como hipertensão gestacional, diabetes, infecções e etc. Porém o problema também pode estar interligado ao bebê, como má formação, parada de desenvolvimento fetal e outros sinais de sofrimento. Em casos como estes é comum o chamado parto induzido, mas você sabe o que é? Como funciona? E quais são as vantagens desvantagens? Bom, continue a leitura que nós vamos lhe explicar. 

Parto induzido. Gestare Vita Três Lagoas
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que é? 

O parto induzido nada mais é do que a antecipação do nascimento do bebê, ou seja, quando o processo de nascimento inicia antes da manifestação natural do corpo. Para que isso ocorra é necessário uma avaliação médica em primeiro lugar e depois a utilização de medicamentos, a fim de estimular as contrações e fazer com que a mulher entre em trabalho de parto para dar a luz ao bebê. 

Vale ressaltar que o parto induzido não deixa de ser um parto normal, que pode ser trocado pela cesariana caso identificado fatores de risco.

Quando é indicado fazer o procedimento? 

Bom, as situações são adversas e pode ocorrer devido a saúde da mãe ou do bebê, porém só o médico poderá avaliar a fim de verificar real necessidade do procedimento.  Veja algumas situações onde é comum o parto induzido:

  • • Quando a gravidez passa das 41 semanas sem início das contrações de forma espontânea;
  • • Ruptura da bolsa de líquido amniótico sem início das contrações em 24 horas;
  • • Quando a mulher é diabética ou possui outras doenças como doença renal ou pulmonar;
  • • Quando o bebê possui alguma má-formação ou não cresceu o suficiente;
  • • Em caso de diminuição do líquido amniótico;

É importante saber que nem sempre o parto induzido é indicado, mesmo que a gestação apresente problemas, sendo assim o médico pode optar pela espera do nascimento natural ou pela cesariana, afim de preservar a saúde da mãe e do bebê. Veja agora situações onde a cesariana pode ser indicada: 

  • • Caso o bebê está em sofrimento;
  • • Após cesarianas interativas (anteriores) - devido a presença de cicatrizes no útero;
  • • Quando há prolapso do cordão umbilical; 
  • • Quando a mulher está grávida de gêmeos ou mais bebês;
  • • Quando a bebê encontra-se em posição córmica;
  • • Em caso de herpes genital ativa; 
  • • Em caso de placenta prévia;
  • • Quando os batimentos cardíacos do bebê estão diminuídos;
  • • Quando o bebê é muito grande, pesando mais de 4kg.

A indução também pode ser alcançada de forma natural, ou seja, sem o auxílio de medicamentos. No entanto conversar com seu médico a respeito é essencial! 

Quer saber mais sobre ginecologia, fertilidade e assuntos relacionados? Então acompanhe o blog e fique por dentro. 

Tem alguma pergunta? Escreva-nos pelas redes sociais!

Gestare Vita Clínica da vida e restauração da fertilidade.

DR. ENEIAS CANO 

(CRM 4695, RQE 3216)

Graduado em medicina pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Residência médica em ginecologia e obstetrícia (AAMI-Campo Grande-MS). Pós-graduação em videolaparoscopia ginecológica pelo Instituto Fernandes Figueira-Rio. Pós-graduação em infertilidade pelo instituto Gera - São Paulo. 

 MAIS DE GESTARE VITA
VEJA TODAS DE GESTARE VITA
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2019 - Grupo Agitta de Comunicação.