Polícia

Aeronaves apreendidas do tráfico fazem transporte de órgãos captados na Santa Casa de Araçatuba

Doador de 30 anos estava internado no hospital havia mais de dez dias, após sofrer um acidente de trabalho

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
23/05/22 às 17h42
Equipes da Polícia Civil de Araçatuba auxiliaram no transporte das equipes até o aeroporto (Foto: Divulgação)

A Santa Casa de Araçatuba (SP) foi palco nesta segunda-feira (23), da captação de órgãos de um paciente de 30 anos que teve a morte encefálica confirmada no domingo (22), após cerca de dez dias internado. Ele foi diagnosticado com um traumatismo cranioencefálico em consequência de um acidente de trabalho e não reagiu ao tratamento.

Os familiares concordaram com a doação dos órgãos, sendo aprovada a captação do coração, pulmão, fígado, rins e córneas. Os procedimentos foram realizados por equipes do Incor e Hospital Albert Einstein, de São Paulo, e do Hospital de Base de São José do Rio Preto.

Devido à necessidade de urgência no transporte desses órgãos após a captação, equipe do Incor solicitou à Polícia Civil, que disponibilizasse meios de fazer esse transporte e foi colocado à disposição, um avião apreendido do tráfico de drogas e incorporado à frota da Polícia Civil.

Ao desembarcar de volta em São Paulo, outro helicóptero também apreendido do tráfico de drogas seria utilizado para levar o coração até o Incor, para que seja feito o transplante no paciente que já aguardava no hospital.

Agilidade

Segundo o que foi informado pela assessoria de imprensa da Santa Casa, a captação começou por volta das 14h e a primeira equipe a entrar no Centro Cirúrgico foi a de cirurgiões do Hospital Albert Eisten, para retirada dos pulmões. O órgão tem que ser transplantado entre 4 e 6 horas após ser retirado e a instituição tem estrutura própria de transporte.

O coração foi captado em seguida pela equipe do Incor de São Paulo, coordenada pelo cirurgião Ronaldo Honorato. Como o coração precisa ser transplantado em no máximo quatro horas após ser captado, o procedimento exige logística estruturada e sincronizada, que pode envolver dezenas de pessoas.

Normalmente o transporte da equipe do Incor para as cidades com doares e o retorno à Capital é realizado por avião da FAB (Força Área Brasileira). Porém nesta segunda-feira a aeronave estava em Canoas (RS), onde as condições do tempo não eram favoráveis para decolagens.

Polícia

Diante da urgência, a equipe médica fez contato com a Polícia Civil de São Paulo, que disponibilizou uma aeronave apreendida em uma ação de combate ao narcotráfico e que foi incorporada à frota para fazer o transporte.

O cirurgião informou que esta foi a primeira vez que esse avião foi utilizado em uma ação que representará a possibilidade de vida nova para um paciente. A previsão era de que o coração a ser transplantado no início da noite seria transportado do aeroporto até o Incor em outra aeronave confiscada de traficantes de drogas.

“Fomos informados que ao desembarcarmos em São Paulo seremos transportados até o heliporto do Incor, por um helicóptero que foi confiscado de traficantes e incorporado à frota da Polícia Civil”, revelou à assessoria de imprensa do hospital.

Equipes da Polícia Civil e da guarda municipal de Araçatuba auxiliaram no transporte das equipes médicas com os órgãos até o aeroporto.

Equipes da Guarda Municipal de Araçatuba também participaram da ação (Foto: Divulgação)

Ação foi a primeira coleta de pulmões e coração na Santa Casa de Araçatuba no ano

Órgãos foram captados na Santa Casa de Araçatuba (Foto: Divulgação)

Esta foi a terceira captação de multiórgãos e a primeira coleta de pulmões e coração na Santa de Araçatuba neste ano, segundo a assessoria de imprensa do hospital.

Os pulmões do doador foram captados por equipe do hospital Albert Einstein, que tem estrutura própria de transporte, enquanto os rins foram captados pela equipe do Hospital de Base de Rio Preto. As córneas foram retiradas pelo enfermeiro Matheus Tonon, da própria Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante da Santa Casa. Esses órgãos seriam encaminhados ao HB de Rio Preto.

O coordenador da equipe de transplantes do Incor, o cirurgião Ronaldo Honorato, destacou a importância do trabalho realizado pela Santa Casa de Araçatuba junto a familiares de pacientes em morte cerebral.

“O momento é de dor para elas e o amor que demonstraram ao doar órgãos do ente querido é de importância imensurável, pois vai representar esperança de vida para pessoas que vivem a angustia de morrer a qualquer momento, caso não consigam ser transplantadas a tempo de reverter uma doença grave”, explicou.

De acordo com ele, de janeiro a maio a equipe de transplantes do Incor de São Paulo realizou 32 transplantes de coração, sendo 28 em adultos e quatro pediátricos. A taxa média de sobrevida de um paciente transplantado de coração é de 88%, segundo o médico.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Órgãos captados são levados para o aeroporto (Foto: Divulgação)
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.