Polícia

Mulher é presa acusada de dar à luz e matar o recém-nascido

Ela teria sido encontrada caída no banheiro, ao lado do filho, que tinha um corte no pescoço, mas não foi encontrada nenhuma faca

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
28/11/21 às 11h58

Uma estudante de 20 anos, moradora em Piacatu (SP), foi presa na madrugada deste domingo (28), acusada de matar o próprio filho, após dar à luz no banheiro de casa. O recém-nascido foi encontrado com um corte no pescoço. Ela alegou para a polícia que não sabia que estava grávida.

A Polícia Militar foi comunicada do caso pelo hospital de Bilac, que comunicou que uma paciente havia dado entrada junto com um bebê do sexo masculino, o qual chegou sem vida, vítima de possível aborto.

Durante atendimento à ocorrência foi constatado que os pacientes eram de Piacatu e a médica que fez o atendimento informou que a criança tinha um corte profundo do pescoço. Ainda de acordo com o que foi informado, a mãe do bebê havia sido transferida para o pronto-socorro de Birigui e ficaria 24 horas em observação.

Sangue

Policiais militares estiveram na casa da jovem, onde foram informados pela mãe dela que a filha havia entrado no banheiro e por estar demorando para sair, um irmão foi ao local e viu sangue por debaixo da porta, que foi arrombada e a investigada encontrada caída, ao lado do bebê, aparentemente sem vida.

Após ser comunicado do caso, o delegado plantonista fez contato com o hospital e a médica que atendeu o menino relatou que ele apresentava um corte profundo na cervical (parte de traz do pescoço), causado provavelmente por instrumento cortante.

Sem faca

Equipe do Instituto de Criminalística de Penápolis realizou perícia na casa da família para confirmar se havia sinais de arrombamento na porta e sangue, mas o imóvel já havia sido lavado. Também não foi encontrado nenhum objeto cortante que possa ter sido usado para ferir o recém-nascido.

Em conversa com a investigada no hospital, a polícia foi informada por ela que não sabia que estava grávida. Ela alegou que entrou no banheiro com dores e, ao descobrir a gravidez e dar à luz, quis se matar. O policial que conversou com ela não perguntou sobre o corte no pescoço do bebê.

A jovem foi presa em flagrante e permaneceu sob escolta policial, para ser apresentada na Delegacia de Birigui ao receber alta.

Investigação

Segundo a polícia, uma assistente social providenciou a funerária para remoção do corpo do bebê do hospital de Bilac para o IML (Instituto Médico Legal), para exame necroscópico.

O motorista da ambulância que levou a investigada até o hospital de Bilac informou à polícia que durante o atendimento a ela, não foi informado que havia um bebê na residência. De acordo com ele, após atendê-la, houve novo chamado, solicitando o atendimento ao recém-nascido, que também foi levado para o hospital de Bilac.

A mãe da investigada confirmou à polícia que a filha havia entrado no banheiro e ao olhar por baixo da porta, viu sangue, houve o arrombamento e ela e o bebê foram encontrados.

Ela alegou desconhecer a existência de uma faca e afirmou que não sabia que a filha estava grávida. Porém, revelou que já desconfiava. Disse ainda que a filha havia terminado um namoro havia dois meses e estava tomando quase todo dia um chá. Um inquérito será instaurado.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.