Polícia

OAB vai acompanhar investigações sobre a morte de advogado

Velório acontece no Cemitério Parque Jardim da Luz, a partir das 14h30; o enterro está previsto para as 17h

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
15/01/20 às 12h24
Corpo foi encontrado em três sacos, no banheiro de uma casa no bairro Água Branca, em Araçatuba (Foto: Lázaro Jr./Hojemais Araçatuba)

A subsede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Araçatuba (SP) divulgou nota informando que irá acompanhar as investigações sobre o assassinato do advogado Ronaldo Cesar Capelari, 53 anos.

Ele desapareceu na noite de segunda-feira (13) e teve o corpo localizado, esquartejado, em uma casa no bairro Água Branca, na noite seguinte.

Na nota, divulgada na manhã desta quarta-feira (15), a OAB lamenta a morte do advogado e cita que, devido às cruéis condições que levaram ao óbito, as investigações policiais serão acompanhadas por meio da subseção e da Coordenadoria e Conselho Regional de Prerrogativas da 9ª Região.

“Expressamos nossas condolências aos familiares, amigos e toda a comunidade advocatícia pela perda do ilustre colega advogado e informamos que empenharemos todos esforços visando auxiliar na elucidação do caso”, informa a nota.

Ainda de acordo com a publicação, o velório acontece no Cemitério Parque Jardim da Luz, a partir das 14h30. O enterro está previsto para as 17h.

Caso

O desaparecimento de Capelari, que morava no condomínio Delta Park, foi divulgado por familiares por meio das redes sociais e um boletim de ocorrência foi registrado na manhã de terça-feira.

Nele consta que a vítima saiu de casa por volta das 20h para ir à natação em uma academia no bairro Ipanema, com previsão de retornar uma hora depois, mas não voltou, não respondeu às mensagens e não atendeu às ligações no celular.

Capelari estava com uma caminhonete GM S10, que foi encontrada abandonada em uma estrada de terra que liga Araçatuba a Birigui, na manhã de terça-feira. Como o veículo estava trancado, a polícia precisou acionar um chaveiro para abri-lo.

O par de chinelo da vítima estava no assoalho da cabine, sujo de sangue, e na caçamba havia um tampão de madeira, também com manchas de sangue.

Corpo

Após divulgação do desaparecimento do advogado e da localização da caminhonete, a Polícia Militar recebeu denúncia de que o veículo havia sido visto estacionado em uma casa na rua Waldir Cunha, no bairro Água Branca, durante a madrugada.

O imóvel fica a cerca de três quilômetros do local onde a S10 da vítima foi localizada. Não havia ninguém na residência, que é uma edícula, mas três pessoas que estavam nas imediações foram abordadas e levadas para a delegacia para serem ouvidas e depois liberadas.

A casa estava com um dos portões danificados e os policiais encontraram uma jaqueta com manchas de sangue, ainda na parte externa. A porta da cozinha estava arrombada e, devido ao cheiro forte houve suspeita de que algo havia na residência.

Durante vistoria, os policiais encontraram três sacos de lixo preto no banheiro e ao abrir um deles, encontraram uma cabeça humana. Apesar dos ferimentos na testa e na lateral do rosto, os policiais identificaram a vítima como sendo o advogado que estava desaparecido. Ele estava amordaçado.

A Polícia Civil e o Instituto de Criminalística foram comunicados e, ao abrir os demais sacos para realização da perícia, foram encontradas as demais partes do corpo. O tronco da vítima estava em um dos sacos e os membros, cortados, no outro.

Cena

A perícia foi concluída somente no início da madrugada, após o corpo ser levado por carro funerário ao IML (Instituto Médico Legal).

Após os trabalhos a imprensa teve acesso à casa, que tem poucos móveis e havia um colchão jogado na cozinha e outro no quarto. Uma mangueira ligada à pia da cozinha estava no banheiro, onde os sacos com o corpo foram localizados.

A polícia acredita que o corpo tenha sido esquartejado nesse banheiro e a mangueira usada para limpar o sangue. Uma serra e pelo menos uma faca foram apreendidas para serem periciadas.

Colisão

Ainda durante as buscas, os policiais encontraram o friso da lateral da caminhonete da vítima sobre o telhado da casa. Segundo testemunhas, o condutor do veículo teria esbarrado no muro do imóvel ao entrar ou sair do local, causando o dano.

Informações extraoficiais são de que a casa onde o corpo foi encontrado é habitada por uma mulher. Ela teria sido encontrada pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira e levada à delegacia para ser ouvida.

Porém, até o início da tarde essa informação não havia sido confirmada. Uma entrevista coletiva à imprensa deve ser concedida ainda hoje pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) para falar sobre o andamento das investigações.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
  28/02/20 às 20h00
  28/02/20 às 16h59
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.