PET

Atenção: você está proibido de dar chocolate para o seu pet

O chocolate possui uma substância chamada teobromina, que não é metabolizada por cães e gatos

Sérgio Dias - Especial para o Hojemais Araçatuba
04/04/21 às 09h00
(Foto: Divulgação)

A Páscoa chegou e com ela, os chocolates, que são bons demais e são poucos os que não gostam. Mas, lembre-se: nós humanos gostamos e podemos comer, mas o seu pet, não. É fundamental ter em mente que os doces, principalmente os chocolates, são extremamente tóxicos para o animal.

O Hojemais Araçatuba conversou com o veterinário Marcelo Weinstein Teixeira, conselheiro efetivo do CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária) e ele explicou o que pode acontecer com o seu pet. “Pode apresentar vômitos, diarreia, taquicardia, taquipneia, convulsões e, em casos mais graves, insuficiência hepática e morte. Tudo vai variar de acordo com o volume de chocolate ingerido pelo animal.”

E se acontecer dele comer sem você perceber? Sempre tenha o número de um veterinário em mãos para qualquer ocorrência. Dependendo da quantidade e do tipo de chocolate e, principalmente, dos sintomas apresentados pelo animal, essa ingestão acidental pode ser considerada uma emergência.

Teobromina

O chocolate possui uma substância chamada teobromina, que é naturalmente encontrada no cacau. Ela é metabolizada sem problemas pelo organismo humano, mas não por cães e gatos, o que torna essa substância tóxica para os nossos pets.

“Quanto maior a quantidade de cacau na composição do chocolate, maior a porcentagem de teobromina e, com isso, maiores serão os efeitos. Por esse motivo, quanto mais amargo, mais escuro o chocolate, mais teobromina ele tem e, consequentemente, maior o risco para a saúde do animal”, esclarece Teixeira.

O profissional alerta que a teobromina pode permanecer no organismo por até seis dias, por isso, mesmo que o animal coma pequenas quantidades, mas com frequência, ele pode acabar se intoxicando ao longo do tempo se for exposto constantemente à substância tóxica.

No tratamento, o especialista vai cuidar dos sintomas apresentados pelo animal, visando estabilizá-lo e evitar que ele evolua para um quadro mais crítico.

Alimentos proibidos

“Em alguns casos, a conduta adotada consiste em lavagem gástrica, fluidoterapia, e monitoração de pressão arterial, mas é necessário acompanhamento do profissional para saber qual a real necessidade do seu animal”, diz Teixeira.

Ele ressalta que, além do chocolate, estão na lista de alimentos proibidos para animais uva, abacate, alho, cebola, alimentos fritos e gordurosos e sementes.

“Oferecer uma alimentação não balanceada para animal pode levá-lo à obesidade, a deficiências nutricionais, a problemas gastrointestinais e dermatológicos. Por isso, é importante alimentá-los com ração de qualidade, que seja condizente com sua necessidade nutricional”, encerra.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM PET
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.