Polícia

Condenado a 24 anos de prisão é preso após ter identidade revelada por ex-mulher

Tentou se passar por um primo ao ser preso tentando furtar ferramentas em casa de guarda municipal aposentado, mas ex-mulher revelou a farsa

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
21/01/22 às 19h21

Jonatas Rafael Manduca Monteiro, 30 anos, morador no bairro Primavera, em Araçatuba (SP), tentou se passar por um primo para não ser capturado após ser flagrado tentando furtar ferramentas na casa de um guarda municipal aposentado, na quinta-feira (20).

A verdadeira identidade dele foi revelada pela ex-mulher, o que possibilitou à polícia dar cumprimento a dois mandados de prisão em aberto, somando 24 anos de prisão.

O flagrante de tentativa de furto foi feito por volta das 11h30, tendo como vítima um guarda municipal aposentado. Monteiro foi surpreendido pelo próprio morador, que disse à polícia que saiu de casa para ir a um mercado e recebeu ligação da filha dizendo que havia um homem nos fundos da casa mexendo nas ferramentas.

Flagrado

Ao retornar ele deparou-se com o acusado no quintal, ao lado de caixa contendo várias ferramentas que haviam sido separadas para serem furtadas. Ainda segundo o guarda municipal aposentado, Monteiro confessou que pretendia cometer o crime por estar devendo R$ 50,00.

Segundo o que foi informado à polícia, o muro da residência da vítima mede aproximadamente 2 metros e 10 centímetros de altura e o imóvel passou por perícia.

Nome do primo

Ao ser levado para a delegacia, preso em flagrante por tentativa de furto, Monteiro informou outro nome e disse que gostaria que a companheira dele fosse comunicada sobre a prisão.

Porém, quando os policiais fizeram contato com a mulher indicada por ele, ela contou que era ex-companheira do acusado e que ele havia informado à polícia o nome de um primo dele.

Após ela revelar a verdadeira identidade, Monteiro foi questionado novamente e confirmou que havia tentado se passar por um primo por saber que era considerado foragido da Justiça.

Condenações

Em pesquisa no sistema a polícia encontrou os dois mandados de prisão expedidos pela Justiça de Araçatuba. Um deles é de recaptura, de 2016, expedido pelo Deecrim (Departamento Estadual de Execução Criminal).

Consta que o processo de origem é de 2013, do Fórum de Valparaíso, sendo duas condenações por roubo, quatro por furto e uma por corrupção de menores. Nesse caso, a pena definitiva é de 17 anos, 2 meses e 20 dias de prisão no regime inicial fechado.

Já o outro mandado de prisão é referente a processo de 2019 da 1ª Vara Criminal de Araçatuba, por um roubo ocorrido em 6 de abril de 2019, cuja pena também definitiva é de 7 anos de prisão no regime inicial fechado.

Após ser ouvido o acusado permaneceu à disposição da Justiça e também deve ser indiciado pela tentativa de furto.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.