Polícia

Foragido há 10 anos é preso ao ser encontrado embriagado e caído na rua

Mandado de prisão em processo por homicídio foi expedido em janeiro de 2012; no mesmo ano foi expedido outro mandado por crime sexual

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
18/01/22 às 11h31

O auxiliar de serviços gerais João Francisco dos Santos Filho, 55 anos, residente no bairro Morada nos Nobres, em Araçatuba (SP), foi preso na madrugada de domingo (16), após ser encontrado embriagado e levado para o pronto-socorro municipal.

Ele era considerado foragido da Justiça desde janeiro de 2012, quando foram expedidos dois mandados de prisão contra ele, um em processo referente a um homicídio e outro por denúncia de crime sexual.

Segundo o que foi informado pela polícia, no início da madrugada de domingo houve chamado para comparecer no pronto-socorro municipal, onde um paciente havia dado entrada após ser encontrada caída na via pública, em local não informado. De acordo com a polícia, o investigado estava muito embriagado e não soube indicar o nome ou endereço de nenhum parente.

Homicídio

Ao consultar o sistema, os policiais constataram que ele era procurado pela Justiça. O primeiro mandado de prisão foi expedido pela 1ª Vara de Execuções em 12 de janeiro de 2012, em processo por homicídio. Como o processo é físico, a reportagem não teve acesso à denúncia. 

O que foi apurado é que o crime ocorreu em 2007, tendo como vítima Jaime de Almeida. O inquérito tramitou no 4º Distrito Policial e a denúncia do Ministério Público foi apresentada em 23 de junho de 2008. 

A sessão para julgamento pelo Tribunal do Júri tinha sido designada para o dia 6 de dezembro de 2011, mas como o réu não foi localizado para intimação, o mandado de prisão foi expedido em 11 de janeiro de 12. Como a prisão foi cumprida agora, o processo deve ser retomado.

Crime sexual

O outro processo tramita pela 2ª Vara Criminal e o mandado de prisão foi expedido em 17 de outubro de 2012, pelo artigo 213 do Código Penal: “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Em caso de condenação, a pena varia de 6 a 10 anos de prisão.

Após receber atendimento médico, o réu foi apresentado no plantão policial e seria encaminhado à cadeia de Penápolis, onde permaneceria à disposição da Justiça.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.