Política

Prefeito de Birigui afirma que são falsas as acusações imputadas à atual gestão

“A abertura dessa CP é mais uma oportunidade para restabelecermos perante à população as verdades dos fatos”

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
14/10/21 às 17h15
O prefeito Leandro Maffeis afirma que a CP será um oportunidade para mostrar a verdade dos fatos (Foto: Arquivo)

O prefeito de Birigui (SP), Leandro Maffeis (PSL), divulgou nota desta quinta-feira (14), comentando sobre a abertura de uma nova CP (Comissão Parlamentar), aprovada na sessão da Câmara de ontem.

A investigação é relativa a denúncia apresentada pelo ex-vereador José Fermino Grosso, apontando suposta fraude na contratação da OSS (Organização Social de Saúde) BHCL (Beneficência Hospitalar de Cesário Lange), para gestão do pronto-socorro municipal.

Em nota, o prefeito informa que recebe com humildade e a consciência tranquila a abertura dessa nova Comissão Processante pela Câmara, sob argumento de que os atos apontados na denúncia são infundados. “Não compactuamos com a corrupção e seguiremos combatendo este mal” , declara.

Maffeis comenta que herdou a Prefeitura com endividamento e muitos problemas, principalmente na área da saúde. E, de acordo com ele, todas as ações praticadas foram para resolver os problemas encontrados nesta área e salvar vidas, diante da situação pandêmica da covid-19.

“Minhas ações como gestor público são e sempre serão tratadas com seriedade, transparência e em respeito às leis. A contratação da atual gestora do pronto-socorro municipal foi feita dentro da legalidade, com pareceres jurídicos favoráveis”, afirma.

Oportunidade

Ainda de acordo com o prefeito, a instauração da CP será mais uma oportunidade para restabelecer perante à população as verdades dos fatos. Entretanto, ele espera que os membros da comissão sejam isentos e façam uma apuração com lisura, responsabilidade e justiça.

“Estou tranquilo quanto às falsas acusações imputadas à nossa gestão, pois reafirmo que não praticamos qualquer irregularidade. Seguirei firme trabalhando pelo desenvolvimento de nossa querida Birigui e buscando superar esse momento difícil de crise econômica e política para melhorar a qualidade de vida de todos os biriguienses”, encerra a nota.

Comissão

A CP foi aprovada por nove votos a cinco na sessão de quarta-feira, quando também foram sorteados os membros da comissão. Os escolhidos foram os vereadores Marcos da Ripada (PSL), Wagner Mastelaro (PT) e José Luis Buchalla (Patriota). Entretanto, eles podem recusar e indicar outro parlamentar para substitui-los.

Até a tarde desta quinta-feira isso não havia sido definido e caberá aos integrantes da comissão decidir quem será o presidente e o relator para darem início aos trabalhos. 

Investigação

Maffeis já é investigado em uma CP na Câmara que apura denúncia de possível improbidade administrativa na gestão do pronto-socorro municipal durante a pandemia.

Logo após assumir o mandato, no início do ano, ele rompeu o contrato com a OSS Santa Casa de Misericórdia de Birigui e assinou um contrato emergencial com o Isma (Instituto São Miguel Arcanjo), que era responsável apenas pela contratação dos médicos.

Esse contrato era pelo período de seis meses e menos de duas semanas antes de esse prazo ser encerrado, em 22 de julho, o prefeito assinou um novo chamamento público que resultou na contratação emergencial da BHCL, por pouco mais de R$ 2,3 milhões mensais.

Segundo a denúncia apresentada à Câmara, em 8 de julho, ou seja, antes do chamamento ser assinado pelo prefeito, o secretário municipal de Governo, Paulo Henrique Marques de Oliveira, entregou cópia do edital ao advogado da BHCL.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
  26/01/22 às 20h00
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍTICA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.