Política

Secretário de Birigui diz que pegou ‘carona’ com advogado de OSS em viagem oficial

Usou carro oficial da Saúde para viagem a Sorocaba, mas disse que deixou veículo em Tatuí e viajou para compromisso oficial de carona com advogado da HBCL, entidade que venceu chamamento emergencial semanas depois; esteve em Sorocaba com veículo oficial depois para pegar mochila que havia esquecido

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
02/12/21 às 11h48
O secretário Paulo Henrique prestou depoimento à CP nesta quinta-feira (Foto: Reprodução)

O secretário municipal de Governo de Birigui (SP), Paulo Henrique Marques de Oliveira, disse em depoimento na CP (Comissão Processante) que investiga denúncia de suposta fraude em chamamento público emergencial para contratar gestora do pronto-socorro municipal, que viajou de carona de Tatuí para Sorocaba, cumprindo agenda oficial em 8 de julho.

Ele é acusado de nessa viagem ter entregue ao advogado da OSS (Organização Social de Saúde) HBCL (Beneficência Hospital de Cesário Lange), Thiago de Carvalho Zingarelli, cópia de documento relacionado ao chamamento público em investigação, o que ele negou.

O chamamento público foi assinado pelo prefeito Leandro Maffeis (PSL) em 22 de julho e a contratada no início de agosto foi a HBCL, por R$ 2,3 milhões mensais. Segundo o próprio secretário, foi o advogado dessa entidade que o levou de Tatuí a Sorocaba naquele dia.

Pedágio

A comissão instaurada na Câmara obteve cópias dos comprovantes pagos pela Prefeitura de Birigui com dinheiro público dos pedágios eletrônicos instalados no carro oficial, uma Renault Duster, utilizado naquela viagem.

O empenho para a utilização do carro foi feito por uma funcionária comissionada da Prefeitura de Birigui, que não participou da viagem, que tinha como destino Sorocaba.

Entretanto, os comprovantes de pagamento de pedágio mostram que o secretário chegou em Tatuí por volta das 12h. O carro também esteve em Sorocaba, onde chegou por volta das 19h e esteve em um shopping da cidade.

Caminho

Em depoimento à CP, Paulo Henrique disse que a viagem a Sorocaba era para visitar uma pessoa indicada por Zingarelli, a qual teria certa influência e poderia ajudar na captação de recursos para o município.

Entretanto, de acordo com ele, Tatuí é caminho de Sorocaba e ele aproveitou a viagem para pegar um orçamento para gestão da ESF (Estratégia Saúde da Família), cujo contrato é assinado com a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui.

Ainda de acordo com ele, era preciso comparar os valores com outras duas entidades, em função da necessidade de renovação do contrato. Como a Secretaria Municipal de Saúde não estaria conseguindo esses orçamentos, ele foi se encontrar com Zingarelli, que se ofereceu para fornecer esse orçamento.

De acordo com Paulo Henrique, ao chegar em Tatuí ele almoçou com o advogado, depois passaram em um café, visitou uma unidade de saúde administrada pela HBCL e em seguida, foram com o carro de Zingarelli até Sorocaba, onde se encontraram com a pessoa indicada por ele.

Esqueceu a mochila

Ainda em depoimento, o secretário disse que após retornarem para Tatuí, ele precisou voltar para Sorocaba, desta vez com o carro oficial, pois havia esquecido a mochila dele. Alegou ainda que foi ao shopping porque a pessoa que havia encontrado anteriormente havia levado a mochila para ele ao shopping. Após pegá-la, ele retornou para Birigui.

Questionado pelo próprio advogado, Paulo Henrique disse que em momento algum retirou a mochila do carro dele durante o período em que esteve em Tatuí, apesar de ter ido até à cidade para pegar um orçamento para o ESF.

Na denúncia, consta que ele desceu com uma pasta, na qual estaria a cópia do chamamento público, a qual entregou para Zingarelli. Uma testemunha ouvida ontem confirmou ter visto o secretário de Governo com uma bolsa ou mochila quando esteve em Tatuí.

Jantar

Paulo Henrique confirmou que esteve na Capital no dia 14 de julho acompanhado do prefeito e do chefe de Gabiente, Alex Brasileiro. Ainda de acordo com ele, a agenda seria no dia 15, no Palácio dos Bandeirantes, onde foram recebidos pelo vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), já que o governador João Doria (PSDB) estaria com covid-19.

Ele negou ter participado do jantar com Zingarelli, o prefeito e o chefe de Gabinete no restaurante, conforme consta na denúncia. Também foi anexada à CP, cópia de mensagem da primeira-dama de Birigui trocada com o vereador André Fermino, na qual ela afirma que fez uma chamada de vídeo com o prefeito, que naquele momento estaria no restaurante jantando com os outros três citados.

Por fim, o secretário de Governo negou ter recebido dólares de Zingarelli.

Orçamento

Thiago Zingarelli prestou depoimento em seguida, na condição de testemunha de defesa, e disse que a visita de Paulo Henrique a Tatuí foi para conhecer a unidade de saúde. Confirmou ainda ter levado o secretário no carro dele até Sorocaba, onde o apresentou a um conhecido dele e que Paulo Henrique teria esquecido a mochila.

Questionado sobre o suposto orçamento para a ESF de Birigui, ele falou que recorda de Paulo Henrique ter solicitado tal orçamento, mas não recorda se fez a entrega desse orçamento naquele dia. Ele também negou ter encontado o secretário em 14 de julho, dia do suposto jantar em São Paulo.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
  12/08/22 às 14h46
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍTICA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.