AO VIVO
Cotidiano

Recém-nascido que nasceu com a bexiga exposta em Três Lagoas consegue na Justiça cirurgia de reconstrução

A criança, ainda durante o plantão da Defensoria, encontrava-se na “ala vermelha” da Santa Casa, onde são internados os casos gravíssimos, com um órgão vital exposto e sem perspectivas de realização do procedimento cirúrgico de urgência.

Danielle Brito - Hojemais Três Lagoas
18/05/22 às 12h11
Reprodução/Foto meramente ilustrativa

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul garantiu que um recém-nascido realizasse uma cirurgia de reconstrução de um órgão vital em Campo Grande. O caso foi atendido durante o plantão no final de semana pelo defensor público Rodrigo Zoccal Rosa, titular da 5ª DP da Infância e Juventude na Capital.

Segundo a Defensoria Pública, o bebê nasceu em Três Lagoas, no dia 03 de maio, com anomalia denominada extrofia de bexiga e epispádia (“bexiga exposta”). O bebê que necessita de cirurgia para reconstrução do órgão vital foi transferido para a Santa Casa de Campo Grande, horas após seu nascimento.

“Na transferência foi dada a certeza pelos profissionais de saúde que o bebê seria atendido pelo especialista (uropediatra) e submetido à cirurgia para reconstrução de sua bexiga. No entanto, desde que chegou à Capital, há três dias, não houve a realização do procedimento cirúrgico, nem a obtenção da vaga com especialista”, detalhou o defensor público na ação.

A criança, ainda durante o plantão da Defensoria, encontrava-se na “ala vermelha” da Santa Casa, onde são internados os casos gravíssimos, com um órgão vital exposto e sem perspectivas de realização do procedimento cirúrgico de urgência.

“Foi informado pela Santa Casa que há somente um médico especialista em tal procedimento no Hospital Universitário de Campo Grande, e que não há vaga para a realização do procedimento no referido hospital”.

Diante dos fatos, a Defensoria requereu, liminarmente, que fosse determinada a imediata transferência, disponibilização de vaga para internação, cirurgia e todos os demais procedimentos e tratamentos que se fizerem necessários para o Hospital Universitário.

“No caso é imprescindível informar que se trata de criança, tutelada pelos Princípios da Proteção Integral e Prioridade Absoluta. Inclusive, o artigo 7º do Estatuto da Criança e do Adolescente traz: ‘a criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas sociais públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência”, pontuou o defensor público.

Assim, a Justiça concedeu a antecipação da tutela jurisdicional para determinar que fosse providenciado imediatamente o socorro ao paciente em unidade hospitalar onde seu médico recomendar.

Caso não haja vaga destinada ao atendimento público, foi determinado ainda que a unidade hospitalar faça a internação em vaga particular que deverá ser custeada integralmente pelo município e, solidariamente, pelo Estado.

Por fim, caso não exista vaga em Campo Grande, que seja providenciada a remoção e o tratamento da criança para outro hospital onde exista a vaga, mesmo que em cidade de outro Estado da Federação.

Esperança - Segundo informações da família, o bebê já foi transferido para o Hospital Regional onde passou por avaliação de um especialista.

Conforme o médico, a criança terá de aguardar por, aproximadamente, três meses para realizar a cirurgia, para que a pele do corpo do recém-nascido se desenvolva mais para a segurança do procedimento. Nesse período ele será assistido em casa.

O que é extrofia de bexiga?

Extrofia vesical (de bexiga) é um defeito congênito que consiste de uma má formação da bexiga e uretra, na qual a bexiga fica exposta para fora do abdômen. As porções logo abaixo da bexiga chamadas de colo vesical e esfíncter uretral externo são os responsáveis pela continência urinária, já que eles permanecem fechados quando a bexiga se enche de urina. Na extrofia vesical, a uretra e a genitália também não são formadas completamente. A uretra se abre na porção dorsal do pênis (epispádia) e a vagina e o ânus são deslocados anteriormente. Além disso, os ossos da pelve são separados (diástase).

Desordens associadas à extrofia de bexiga:

Epispádia – A porção final da uretra neste caso não se forma completamente. Em meninos o pênis é achatado, direcionado e curvado para o abdômen, com a uretra abrindo-se para a superfície superior do pênis. Em meninas, a uretra se abre na região do clitóris duplicado e os lábios menores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.