Polícia

Professor é preso com quase 105 Kg de pasta base de cocaína

O professor revelou a Polícia Civil que recebia R$ 10 mil por semana pela empreitada

Redação - Hojemais Três Lagoas
21/01/22 às 10h45
Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) identificaram um professor de letras da rede de ensino do município de Ponta Porã que teria passado a ostentar um padrão de vida incompatível com a remuneração recebida.

A investigação apontou que, apesar de receber um salário mínimo, o suspeito passou a publicar fotos de viagens, além de gastar valores elevados nos bares de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero e se identificar como amigo de patrões do tráfico de drogas.

A Defron apurou que o investigado estava utilizando o imóvel residencial pertencente a sua mãe, residente na Espanha, para armazenar drogas ilícitas. 

Na manhã de quinta-feira, por volta das 11:30h, durante monitoramento no imóvel onde estariam sendo armazenadas as drogas, localizado no Jardim das Rosas, os policiais identificaram quando o professor parou um automóvel GM Celta, de placas paraguaias na frente do local, onde adentrou e logo em seguida saiu carregando uma caixa de isopor.

Diante de indícios de que drogas estavam no interior da caixa, os policiais abordaram o automóvel, no qual, além do investigado, encontravam-se duas outras pessoas.

Vistoriada a caixa de isopor, não foram encontradas drogas em seu interior.

Contudo, o investigado relatou aos policiais que a mãe dele não possuía relação com o fato ilícito que estava no interior do imóvel.

Ao ser questionado o que havia na residência, ele expôs que guardava para “desconhecidos” tabletes de pasta base de cocaína, recebendo R$ 10 mil por semana pela empreitada.

Durante vistorias no imóvel, foram encontrados dentro de caixas de papelão e de isopor centenas de tabletes de pasta base de cocaína, que pesados totalizaram 104,650 kg.

Sobre os dois outros indivíduos que estavam no automóvel, a polícia apurou que na companhia do professor iriam realizar um churrasco em um espaço de lazer, não se identificando relação deles com a crime de tráfico de drogas.

Os policiais apuraram ainda que o professor de letras teve o seu contrato de trabalho rescindido pelo município de Ponta Porã em dezembro de 2021.

Ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo representado pela decretação de sua prisão preventiva. 

Fonte: Polícia Civil de Ponta Porã

Foto: Polícia Civil
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.