Polícia

Grupo investigado tinha 4 motoristas e 4 pilotos à disposição

Os oito investigados tiveram a prisão temporária decretada e, entre eles, apenas um motorista é considerado foragido; oito aeronaves foram bloqueadas por determinação da Justiça

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
03/10/20 às 18h02
Entre as aeronaves que foram bloqueadas por determinação da Justiça há um helicóptero (Foto: Hojemais Araçatuba)

O grupo da região investigado por suposto desvio de dinheiro público da área da Saúde, tinha quatro pilotos e quatro motoristas à disposição. O Hojemais Araçatuba apurou que entre eles, apenas um motorista não foi preso e é considerado foragido, e oito aeronaves foram bloqueadas por determinação da Justiça.

Segundo apurado pela reportagem, os pilotos e motoristas foram contratados pelo que é chamado pela Polícia Civil de Orcrim (Organização Criminosa), para executar tarefas variadas.

Entre elas estava a de transportar valores desviados da Saúde e providenciar a locomoção de forma rápida da chefia da Orcrim ou de pessoas por elas determinadas. Ainda de acordo com o que foi apurado, esses pilotos ficavam sempre alertas, pois poderiam ser acionados a qualquer momento em necessidade de eventuais fugas.

O contato entre a organização e os pilotos e motoristas sempre era feito por meio do aplicativo WhatsApp, para evitar que as conversas fossem interceptadas por eventual rastreamento das ligações autorizadas pela Justiça.

Prisão

Um dos motoristas presos tem 58 anos e mora em Birigui (SP). Ele foi capturado junto com o médico Cleudson Garcia Montali, 46 anos, que também tem residência no município e é apontado como chefe do suposto esquema criminoso. Ele teria como braço direito outro médico da cidade, que também está preso temporariamente.

Como havia a suspeita de que Cleudson poderia fugir, ele vinha sendo monitorado e foi detido durante a Operação Raio X em um hotel de beira de estrada, no município de Pardinho, na região de Bauru.

Os dois estavam com uma caminhonete GM S-10 que foi acompanhada desde Araçatuba, onde estiveram com um advogado na tarde anterior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mandado

Com relação aos pilotos presos, o Hojemais Araçatuba apurou que dois deles foram capturados na região, um em São Paulo e outro no Estado do Pará, onde o grupo investigado mantinha negócios. Naquele Estado, os mandados foram cumpridos pela Polícia Federal.

O piloto preso em São Paulo tem 35 anos e mora no bairro Recanto Verde, em Birigui.  Segundo o que foi apurado pela reportagem, ele foi detido no aeroporto de Congonhas, onde já aguardava os policiais e foi comunicado do mandado de prisão temporária que havia contra ele, expedido pela Justiça de Birigui. O piloto teve o celular apreendido para a perícia.

Pecuarista

Também durante a Operação Raio X, policiais civis estiveram no aeroporto Dario Guarita, em Araçautba, onde visitaram um dos hangares que pertence a um pecuarista de 37 anos, morador na cidade.

A reportagem apurou que havia algumas aeronaves no local, mas nenhuma estava relacionada à investigação.

LEIA TAMBÉM
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.