Polícia

Vereador de Birigui procura a polícia após ter nome envolvido indevidamente em investigação

A foto do parlamentar foi vinculada ao suposto esquema, o que fez com que fosse difamado nas redes sociais

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
06/10/20 às 12h00

*Matéria atualizada

Arte foi disseminada por meio do aplicativo WhatsApp (Imagem: Divulgação)

O vereador de Birigui (SP) Reginaldo Fernando Pereira, o Pastor Reginaldo (PTB), procurou a polícia na manhã desta terça-feira (6) e registrou um boletim de ocorrência de calúnia, difamação e injúria.

Ele tomou a iniciativa após receber diversas mensagens de pessoas próximas, questionando se ele estaria “no escândalo de corrupção na área da saúde” , se referindo à investigação que resultou na Operação Raio X, da Polícia Civil de Araçatuba, na semana passada.

Na terça-feira (29) foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão referentes a processos que tramitam nas Justiças de Birigui e Penápolis, por suposta fraude no desvio de dinheiro público da área da Saúde por meio de contratos com OSS (Organização Social de Saúde).

Entre os investigados está o vereador de Birigui José Roberto Merino Garcia, o Paquinha, acusado de receber um repasse mensal de R$ 5 mil do grupo investigado. Ele está preso temporariamente.

Constrangimento

Ao procurar a polícia, Pastor Reginaldo relatou que se sentiu muito constrangido e revoltado devido à publicação do que chamou de "fake news" em desfavor dele, disseminada pelo Facebook e WhatsApp.

A reportagem recebeu na manhã desta terça-feira, uma arte com as fotos de várias pessoas, entre elas vereadores de Birigui. Essa arte seria um suposto organograma do esquema do desvio de dinheiro que está em investigação.

Mais tarde, essa mesma arte foi recebida coberta pela tarja de “fake news” .

O parlamentar informou à polícia que nessas publicações consta que o grupo investigado faria pagamentos mensais de R$ 10 mil para todos os vereadores de Birigui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ameaças

Ainda de acordo com Pastor Reginaldo, além de ser acusado de receber os supostos repasses, a foto dele foi vinculada ao suposto esquema, o que fez com que fosse difamado nas redes sociais, sendo chamado de "criminoso", "cara de pau", "ladrão" e "vagabundo" .

O vereador informou à polícia o nome de uma pessoa que teria feito uma ameaça a ele pelo Facebook e das pessoas que teriam publicado as difamações, inclusive da página de um jornal de Birigui no Facebook.

O caso será investigado.

*Matéria atualizada às 13h25 para inclusão da palavra "indevidamente" no título, pois o nome do vereador não é citado na investigação policial.

LEIA TAMBÉM
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍCIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.