Geral

Confira a entrevista com um dos fundadores do vinho em lata

Segundo o fundador o intuito da Vivant é democratizar o acesso ao vinho descomplicando o consumo da bebida e provando que bons vinhos podem ser consumidos em qualquer lugar

Beatriz Benedeti - Hojemais Três Lagoas
16/01/20 às 15h31
Vinho em lata da empresa Vivant (Reprodução/brazil journal)

Quando você decide tomar um vinho, você está concordando com um ritual, que em muito dos casos, é o que atrai certa parte dos consumidores desse produto.

Ter que escolher o vinho, com uma uva especifica feito em uma vinícola especifica, usar um saca-rolhas, comprar uma taça, um queijo, e quem sabe, até umas velas para deixar o clima mais romântico é um ritual, quase que sagrado, associado a todos os consumidores do vinho.

A tradição do vinho é bem especifica, mas e quando você quer só tomar um vinho? Sem ter que fazer toda a preparação exigida pelo comercio atual deste produto, apreciar a bebida de maneira simples, em uma praia ou uma festa, por exemplo.

Bom, a empresa Vivant está tornando o sonho de muitos realidade, seus fundadores pensaram exatamente nisso, em uma maneira mais fácil de consumir a bebida que faz muito sucesso em primeiros encontros, e estão comercializando o vinho em lata.

Essa maneira de tomar vinho já existente em alguns países, mas ainda é uma novidade no Brasil. A empresa possui três tipos de vinho, o branco, o rosé e o tinto, com apenas R$16,00 você consegue comprar a sua latinha de 269 ml.

“Porque nem sempre a gente tá a fim de saca-rolha e climinha romântico”, Vivant manifesto

Para os que estão furiosos som essa notícia, se acalmem, a gente, da equipe do Hojemais fez uma entrevista com o Alex Homburger , um dos fundadores da empresa para sanar nossas dúvidas sobre a nova comercialização de um produto tão antigo.

E está aqui essa entrevista:

1.Há quanto tempo existe a empresa e qual o significado do seu nome?

“A Vivant iniciou suas operações de venda em Janeiro de 2019, portanto, temos um ano de operações. O nome da empresa vem da expressão “bon vivant”, pessoa que sabe curtir a vida.”                                          

2.Qual o intuito da empresa com esta nova mercadoria? 

“O intuito da Vivant é democratizar o acesso ao vinho. Queremos descomplicar o consumo da bebida e provar que bons vinhos podem ser consumidos em qualquer lugar e ocasião, sem necessidade de taças, saca rolhas, etc. Trazemos um produto que é ideal para ocasiões como praia, piscina, churrasco, festas, programas ao ar livre em geral e também consumo individual.”

3.Como teve a ideia de produzir vinhos em lata? 

“Os fundadores da empresa já buscavam criar uma marca de vinhos que fosse atrativa para o público mais jovem. Durante as pesquisas, um de nós foi em uma festa onde o tema era vinho, e comprou uma garrafa. Ali, ele percebeu que passou uma hora e meia da festa com uma garrafa na mão e uma taça na outra, o que tornou a experiência ruim já que ele tinha que colocar a garrafa no chão para cumprimentar alguém, mexer no celular e curtir a festa. Foi aí que veio o estalo de “se queremos atingir o público jovem, precisamos de um outro tipo de embalagem, mais prática”. Foi aí que pesquisamos e vimos que o vinho em lata já era um grande mercado em outros países. Achamos a cara do Brasil e resolvemos começar!”

4.Pretendem expandir a quantidade de produtos disponíveis? Como, por exemplo, produzir seus vinhos com outros tipos de uva?  

“Sim, hoje trabalhamos com 3 produtos, mas temos o objetivo de todo ano lançar novas versões e extensões de linha.”

5.Acha que os consumidores regulares de vinhos, ou seja, aqueles que apreciam uma boa garrafa de vinho, um aerador e talvez um pedaço de queijo, irão acatar e quem sabe até preferir a ideia de vinhos em lata?  

“O objetivo da Vivant não é competir com a forma tradicional de consumir vinhos, a garrafa, mas sim, agregar praticidade em ocasiões onde a garrafa não se encaixa tão bem. Por isso, muito dos consumidores regulares de vinho estão consumindo Vivant quando vão para a praia, piscina, festa, cinema, etc.”

6.O vinho comercializado na garrafa envolve uma certa tradição, tanto na sua produção quanto no eu consumo. Você acha que a nova comercialização em lata vai ser algo bem recebido pelo público por quebrar esse padrão?  

“Acreditamos que como qualquer inovação, o vinho em lata no começo até pode gerar certa estranheza, mas depois que a pessoa prova nosso produto, constata que o vinho é de qualidade, e percebe os benefícios da latinha, imediatamente os preconceitos são quebrados. A aceitação do público e abertura para conhecer o produto tem nos surpreendido positivamente.”

7.Qual o público-alvo que busca atingir com o seu produto? Querem um público diferente do que já consome o vinho na garrafa, ou buscam mudar a tradição do consumo vinho de modo geral?  

“Hoje nosso principal público alvo são jovens, de 23 a 35 anos, que buscam consumir uma bebida de qualidade, com praticidade e sem complicações. Percebemos que todos os termos técnicos, conceitos de harmonização e jargões utilizados pela indústria do vinho mais afastam do que atraem novos consumidores para a categoria. Portanto, queremos conquistar nosso público através da simplicidade de um bom vinho que pode ser bebido em qualquer lugar e ocasião.”

8.O que acha e como tratou as críticas feitas pelos amantes e apreciadores da arte do vinho?

“As críticas são bem vindas desde que sejam construtivas. Hoje, trabalhamos com muitos especialistas em vinho, enólogos e sommeliers para chegar em um produto com a melhor qualidade possível, então somos bem confiantes com nossos vinhos. Críticas sempre existirão, como em qualquer outro setor, mas hoje, nossa taxa de aceitação é de mais de 90%.”

9.Como é feito a conservação do vinho? Ele tem data de validade?  

“Nós somos a primeira empresa nacional de vinhos a ter realizado uma parceria com a Ball, maior fabricante de latas de alumínio do mundo. A Ball possui uma tecnologia específica para vinhos, um material que reveste o interior da lata e consegue preservar as mesmas propriedades da garrafa. O prazo de validade é de 3 anos, tempo que dura esse revestimento interno da lata.”

10.A produção de seus vinhos é feita em vinícolas? 

“A produção dos nossos vinhos é feita na vinícola Quinta don Bonifácio, em Caxias do Sul.”

11.Qual a diferença em questão de sabor, entre o vinho que está na lata, e o da garrafa? 

“Hoje essa tecnologia da nossa lata consegue garantir que o vinho fique com o mesmo sabor da garrafa, sem alterações.”

12.O vinho é armazenado em barril? 

“Não, são armazenados em tanques antes do envase.”

13.Acha que o produto vai se tornar algo comum de se ver entre o público jovem, como em festas de faculdade, por exemplo?  

“Temos certeza que sim! Temos acesso a diversos estudos que mostram que o consumo de vinho pelo público jovem cresce cada vez mais. Porém, a garrafa e taça limitam muitas ocasiões, como por exemplo, as festas de faculdade citadas. Poder tomar um bom vinho de forma mais simples, despojada e divertida com certeza fará a popularidade dessa bebida crescer ainda mais.”

14. O modelo da lata é bem jovial e com cores vibrantes, acha que isso irá afastar o público mais velho? 

“A lata jovial com cores vibrantes é justamente o que queremos trazer, algo bem diferente das tradicionais garrafas, sempre iguais, com as mesmas cores. Isso ajuda a chamar a atenção do consumidor no ponto de venda e reforça nosso posicionamento como marca inovadora. Nossa embalagem tem sido muito elogiada, mesmo pelo público mais velho, então não acreditamos que isso é um motivo que os afaste do consumo de nossos produtos.

Eu não sei vocês, mas me deu uma vontade enorme de experimentar esse vinho em lata depois dessa entrevista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM GERAL
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.