Ciência e Tecnologia

Internet dos sentidos

"Essa conexão com o mundo digital não ficará limitada aos smartphones, outros dispositivos farão parte dessa nova internet, como roupas inteligentes para controlar temperatura ou emitir vibrações de diversas intensidades no corpo humano (...)"

Cássio Betine*
13/03/22 às 14h00
(Foto: Pexels)

Anualmente, a Ericsson realiza pesquisas junto ao consumidor para saber quais são as expectativas deles em relação às novas tecnologias, o que fariam uso, o que gostariam que existisse ou fosse inventado etc. 

A Ericsson é uma das principais fornecedoras de tecnologia da informação e comunicação, responsável por cerca de 40% do tráfego móvel do mundo. Entre suas principais áreas de atuação, estão tecnologias de automação, segurança digital, internet das coisas e conexão 5G.

Na 9ª edição dessa pesquisa, realizada no final de 2019, início de 2020, a pauta foi a internet dos sentidos. Esse tipo de internet é aquele que explora as experiências imersivas resultantes das conexões de nossos sentidos, como visão, olfato, tato, audição e o paladar, ou seja, todos os sentidos humanos.

Essa conexão com o mundo digital não ficará limitada aos smartphones, outros dispositivos farão parte dessa nova internet, como roupas inteligentes para controlar temperatura ou emitir vibrações de diversas intensidades no corpo humano, biochips integrados ao organismo para monitoramento de órgãos vitais ou controle de emoções por meio de conexões neurais e até mesmo nanoprocessadores capazes de codificar cheiros para o cérebro sentir.

Tudo isso será habilitado por tecnologias como Inteligência Artificial (IA), Realidade Virtual (VR), Realidade Aumentada (AR), 5G e automação. Os consumidores que responderam a essa pesquisa preveem que até 2030, as experiências baseadas nas coisas multissensoriais serão quase inseparáveis da realidade.

Finalmente, o relatório conclui que as tendências de consumo, e por consequência no que as empresas possivelmente trabalharão nessa década, são:

  • Nosso cérebro será realmente a interface do usuário ( ouça o drops sobre esse assunto ); 
  • A imitação de vozes e sabores farão parte da vida das pessoas, permitindo que definam o tipo de voz que querem ouvir ou alterar o sabor da comida que estiverem ingerindo; 
  • Os aromas poderão ser sentidos sem a necessidade de qualquer tipo de produto químico pulverizado no ar, tudo através de sugestionamento cerebral; 
  • A realidade virtual da maioria dos games digitais será praticamente indistinguível da realidade física – veja a evolução dos games de carros de corrida por exemplo, cada vez mais idênticos na tela, imagine só com a integração da internet dos sentidos; 
  • Entidades oniscientes de inteligência artificial determinarão o que é notícia falsa e também garantirão maior segurança nos dados das pessoas; 
  • Por fim, as compras virtuais se tornarão comuns, permitindo que as pessoas experimentem os produtos usando os cinco sentidos, sem que precisem sair de suas casas. 

Isso é o que muitas pessoas acreditam sobre como nossa vida será mediante as essas evoluções tecnológicas.

(Foto: Arquivo pessoal)

*Cassio Betine é head do ecossistema regional de startups, coordenador de meetups tecnológicos regionais, coordenador e mentor de Startup Weekend e pilot do Walking Together. Cássio é autor do podcast Drops Tecnológicos

** Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião deste veículo de comunicação.

Gostaria de ter artigos publicados no Hojemais Araçatuba? Entre em contato pelo e-mail redacao@ata.hojemais.com.br

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.