Cotidiano

Santa Casa de Araçatuba reúne prematuros em ação pelo Dia Mundial da Prematuridade

Mães relataram as experiências vividas durante encontro realizado nesta terça-feira no hospital, que é referência regional

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
16/11/21 às 17h47
Encontro de pais de bebês prematuros foi realizado na Santa Casa de Araçatuba (Foto: Divulgação)

A Santa Casa de Araçatuba (SP) reuniu mães e pais de bebês prematuros e seus respectivos filhos em uma atividade realizada nesta terça-feira (16) para lembrar o Dia Mundial da Prematuridade, que será comemorado amanhã.

O hospital, que é referência para 40 municípios da região, possui 22 leitos de Terapia Intensiva Neonatal e Pediátrica e 12 leitos Semi-Intensivos Neonatal e, segundo a assessoria de imprensa, registra grande demanda de bebês com baixa prematuridade.

As histórias relatadas por essas mães são de superação, já que normalmente os bebês que nascem antes do tempo apresentam complicações e muitas vezes precisam retornar ao hospital.

Foi o que aconteceu com Shouta Benício Goto, um menino que hoje está com 6 meses de vida e que nasceu de 33 semanas de gestação, em maio. A mãe dele, Ana Beatriz Kazuko Goto, de Bilac, contou à assessoria de imprensa do hospital que o filho nasceu pesando 2,440 quilos, mas ainda não estava com o pulmão formado.

Shouta Benício Goto ficou 35 dias internado na UTI (Foto: Divulgação)

Complicações

Ele foi mantido por 35 dias na UTI, dos quais, uma semana intubado. De acordo com ela, após ser extubado o recém-nascido teve complicações e depois que recebeu alta médica e estava em casa, foi diagnosticado com broncopneumonia e precisou ser levado de volta ao hospital, onde passou mais 15 dias em tratamento.

“É tudo novo, mas só de vê-lo bem é satisfatório”, disse a mulher, que é mãe de outros dois filhos que nasceram de gestação completa. Para ela, o apoio que recebeu do hospital e da equipe foi fundamental para o filho dela, que não tem sequelas.

Outra mulher que mora em Buritama e é mãe de um menino que completou 3 anos também relatou o drama vivido por ela. José Otávio Bonilha Morais nasceu com 34 semanas de gestação e ficou 29 dias internado na Santa Casa de Araçatuba, 18 deles na UTI.

Filho do casal Jéssica Alexandrina Morais e Sérgio José Morais e Souza, durante o tratamento o recém-nascido teve convulsão e chegou a sofrer parada cardiorrespiratória, mas também está saudável e sem sequelas.

José Otavio Bonilha Morais está com 3 anos e não tem sequelas (Foto: Divulgação)

Micropematuro 

Há casos de bebês que nascem microprematuros, como um menino que veio ao mundo com 24 semanas de gestação, em novembro de 2015. Pesando 688 gramas e medindo 31 centímetros, ele passou três meses na UTI Neonatal e Pediátrica. Quando deixou o hospital, estava com 2,2 quilos e 39 centímetros.

Segundo a assessoria de imprensa da Santa Casa, o evento de hoje foi realizado justamente para sensibilizar a população sobre os riscos para os bebês que nascem prematuros, o que tem se tornado cada vez mais comum, principalmente devido ao aumento da incidência de partos gemelares de mães submetidas à fertilização in vitro.

Em nota distribuída à imprensa, o responsável técnico pelo Serviço de Neonatologia Intensiva do hospital, Anderson Azevedo Dutra, explica que o alto índice de prematuridade está associado à dificuldade de acesso à atenção primária e de coordenação da atenção primária nos municípios para os quais Araçatuba é referência em obstetrícia de alto risco.

Ele, que é neonatologista intensivista pediátrico, afirma que a Santa Casa possui estrutura robusta e profissionais capacitados para cuidar dos bebês extremamente prematuros. Essa equipe é formada por médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos e terapeutas.

Ação foi realizada pelo hospital pelo Dia Mundial da Prematuridade (Foto: Divulgação)

Peso

Segundo o que foi informado, em média os bebês que sobrevivem no complexo neonatal da Santa Casa de Araçatuba pesam entre 670 a 772 gramas e o tempo médio de internação é de 60 dias. A alta normalmente é concedida quando eles completam dois quilos.

Dutra explica que o grande desafio da neonatologia é garantir a sobrevivência dos prematuros com qualidade de vida. De acordo com ele, o Serviço de Neonatologia Intensiva do hospital instituiu uma série de protocolos para oferecer atenção especial aos recém-nascidos extremamente prematuros, focada em nutrição precoce, com leite materno, e suportes adequados para evitar danos no médio e longos prazos. 

O médico acrescenta que o desafio constante da equipe é manter a qualidade do serviço baseado em excelência técnica, com atendimento humanizado, adaptando os recursos tecnológicos à realidade do hospital, além de capacitar e motivar os colaboradores. 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
  12/08/22 às 14h46
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.