Política

Prefeito de Birigui negocia contas de energia não pagas no valor de R$ 850 mil

Ex-prefeito Cristiano Salmeirão afirma que pagamentos estavam dentro do prazo, conforme portaria da Aneel

Aline Galcino - Hojemais Araçatuba
12/01/21 às 18h23
Carlão Gallindo, Kléber Araújo, Leandro Maffeis e Alex Brasileiro (Foto: Divulgação)

O prefeito de Birigui (SP), Leandro Maffeis (PSL), realizou na manhã desta terça-feira (12) reunião com um representante da CPFL Paulista para tratar sobre a dívida da Prefeitura com a concessionária.

O total da dívida, segundo informou a Prefeitura, é de R$ 853.691,91, referente a contas de energia elétrica não pagas desde novembro do ano passado.  

O Executivo afirma que são contas atrasadas de espaços e prédios públicos e até mesmo do Paço Municipal. "Tivemos essa primeira reunião para tratar sobre a negociação do débito. Estamos levantando a real situação de todas as dívidas em atraso com fornecedores para colocarmos a Prefeitura em ordem”, disse o prefeito.

A reunião ocorreu no Gabinete da nova sede administrativa com a presença do vice-prefeito, Carlão Gallindo (PSD), do secretário de Governo, Paulo Henrique Marques, do chefe de Gabinete, Alex Brasileiro, e do consultor de negócios da CPFL Paulista Kleber de Almeida Araújo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dentro do prazo

Questionado sobre a dívida, o ex-prefeito Cristiano Salmeirão explicou que existe uma portaria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que concede prazo de 90 dias para pagamento das contas de energia elétrica e, portanto, a Prefeitura está dentro do período de pagamento.

"No período de janeiro a abril sempre foi feito ajuste financeiro e receitas como IPVA, ICMS, IPTU, Simples Nacional, FPM, ISS, somada à receita diária da Prefeitura dentro dos dez primeiros dias é possível quitar como sempre é feito", afirmou à reportagem.

De acordo com Salmeirão, no mês de dezembro a preocupação maior e a prioridade eram o pagamento dos servidores, 13º salário e as verbas indenizatórias e rescisórias do contrato de trabalho, pois "o servidor público sempre em primeiro lugar".

Redução de despesas

Na última quinta-feira (7), Maffeis assinou decreto estabelecendo uma série de cortes de gastos públicos da administração direta e indireta para equilibrar o orçamento.

Na mesma data, foi anunciado o pagamento escalonado de servidores por falta de dinheiro em caixa. A princípio, 2.270 funcionários que recebem até R$ 3 mil líquidos teriam o valor depositado na sexta-feira (8). O restante, o correspondente a 823 trabalhadores, não tinha data para receber.

Na sexta-feira, com entrada de recursos, foi feito pagamento de 2.970 servidores municipais que recebem até R$ 5 mil líquidos, ficando pendente apenas os salários de 123 funcionários. 

Ainda de acordo com a Prefeitura, nesta terça-feira, os 123 já tinham recebido seus vencimentos. A fonte dos recursos não foi informada.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍTICA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.