Cotidiano

Vacina BCG, obrigatória no Brasil, ajuda na imunização contra o coronavírus

Foi divulgado na última sexta-feira, 31 de julho, pela revista científica Science Advances, um estudo feito por um grupo de pesquisadores do departamento de Psicologia da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, que concluíram que os países com a maior aplicação da vacina BCG, estão mais imunes à Covid-19.

Da redação - Hojemais Três Lagoas
03/08/20 às 14h13
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
(Reprodução/hospitalanchieta)

Foi divulgado na última sexta-feira, 31 de julho, pela revista científica Science Advances, um estudo feito por um grupo de pesquisadores do departamento de Psicologia da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, que concluíram que os países com a maior aplicação da vacina BCG, estão mais imunes à Covid-19. 

Segundo a pesquisa, os países, como o Brasil, teriam um maior número de morte caso a vacina BCG não fosse obrigatória no calendário de vacinação.

Foram 1.760 óbitos pelo novo coronavírus nas regiões de fronteira do país até o dia 15 de abril,  mas esse número poderia ter sido 14 vezes maior sem essa imunização.

A pesquisa estudou o número  diário de infectados em 135 países e de óbitos em 134 nações nos primeiros 30 dias da disseminação da doença, e constataram que os índices mais altos foram onde não aplicaram a vacina BCG até os anos 2000.

Por exemplo, nos Estados Unidos, o dia 29 de março o número de mortes pela Covid-19 teria sido 19% menor, de 468, e não de 2.467 pessoas, caso a vacina fosse obrigatória. 

Foram considerados diversos fatores para essa pesquisa, como a idade média dos pacientes , o índice de migração dentro do país, a densidade populacional acesso aos testes contra a Covid-19, PIB  per capita e dimensões culturais.

(*) Veja

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.