Opinião

ESG nas empresas: controle de informações e transparência

"Os resultados alinhados às demandas ESG deixarão claros seus significados, não há dúvida. Trata-se de uma mudança de paradigma em toda a estrutura da empresa, para que a preocupação genuína com os impactos sociais e ambientais de fato agregue valor à organização, reforçando sua longevidade"

Luiz Marcatti*
17/05/22 às 18h51

Uma das principais questões que se apresentam para as empresas durante o processo de implementação de boas práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) é como tratar esses temas na organização como um todo, considerando de maneira abrangente suas diversas áreas de negócios e seus relacionamentos com distintos entes — públicos, inclusive. A reflexão é suscitada por artigo da especialista Maria C. Moats 1 sobre os papéis do conselho de administração e da alta gestão em relação ao ESG, publicado em 2021 no portal da NACD (National Association of Corporate Directors).

Uma empresa voltada ao cumprimento de sua agenda ESG precisa ter clareza sobre as demandas e as expectativas de investidores, clientes, colaboradores, entre outros entes interessados. Com um levantamento inicial que inclua os resultados a serem alcançados e a prestação de contas que os públicos de interesse esperam receber, a empresa poderá mapear os ajustes necessários nas suas práticas correntes — estabelecendo, com isso, uma postura transparente e uma atitude precisa quanto a quais informações deve reportar. 

No âmbito do conselho e da diretoria, surge o desafio de selecionar os indicadores mais adequados para a avaliação da implementação das atividades e da performance da empresa nos quesitos ESG. Tendo em vista a segurança e a qualidade das informações exigidas em novos mecanismos de reports ao mercado, a alta administração precisará estabelecer novos padrões e estruturas, tanto de captura quanto de manejo dos dados, com o propósito de apresentar informações acuradas. 

A consolidação de dados e a geração de relatórios deverão demandar uma organização particular — diferente daquela estruturada para as informações tradicionais —, o que vai resultar num dashboard específico. Provavelmente, as operações serão afetadas pela necessidade de revisão de políticas, processos e controles internos. O compliance e as auditorias também terão que ajustar sua atuação, ampliando e complementando suas análises e recomendações.

Para a atuação das diretorias, serão exigidos novos procedimentos e controles, o que amplia a gestão sob novos enfoques. A empresa poderá até eleger um responsável por reports ESG, mas todas as áreas estarão envolvidas na geração de dados. A comunicação interna igualmente precisará ser revisada, com o intuito de alinhar as práticas com o time de colaboradores e proporcionar a transparência esperada por esse público. 

A atuação dos conselhos de administração, consequentemente, será impactada. Em princípio, os temas ESG entram nas pautas e no processo de deliberação, uma vez que serão exigidas análises sobre novos ângulos para as decisões. Em muitos casos, esses temas serão incluídos nos planos de trabalho dos comitês de apoio aos conselhos, ou até poderão ser criados comitês específicos para tratar deles, provendo informações e insumos mais seguros para o processo de deliberação dos conselheiros. 

Os resultados alinhados às demandas ESG deixarão claros seus significados, não há dúvida. Trata-se de uma mudança de paradigma em toda a estrutura da empresa, para que a preocupação genuína com os impactos sociais e ambientais de fato agregue valor à organização, reforçando sua longevidade. 

1 Líder do Governance Insights Center da PwC US

2 Entidade que congrega, nos Estados Unidos, conselhos de administração e membros desses colegiados. Artigo disponível em https://blog.nacdonline.org/posts/accuracy-quality-esg-data

Foto: Murillo Constantino

 

 

Luiz Marcatti é sócio e presidente da MESA Corporate Governance

** Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião deste veículo de comunicação.

Gostaria de ter artigos publicados no Hojemais Araçatuba ? Entre em contato pelo e-mail redacao@ata.hojemais.com.br  

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM OPINIÃO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.