Cotidiano

Aumento de doenças respiratórias faz disparar a procura por testes de covid-19 em Araçatuba

Hospital particular da cidade está sem o exame RT-PCR, desde ontem (6); testes rápidos também estão em falta em alguns locais; já a Prefeitura de Araçatuba afirma que possui estoque suficiente para suprir a demanda

Manu Zambon e Thalia Paro  - Hojemais Araçatuba
07/01/22 às 15h30
(Foto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos)

“Eu passei o ano-novo com minha família em um rancho e todos testaram positivo para covid-19. Por esse motivo, decidi fazer o teste”. Essa foi a resposta dada para um técnico de enfermagem que realiza testes rápidos de covid-19 em uma farmácia em Araçatuba (SP).

As aglomerações e festas de fim de ano geraram uma verdadeira corrida em busca de teste de covid-19 em pessoas com sintomas gripais, como tosse e dor no corpo. 

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alertou que todos os cuidados contra a covid-19, como usar máscara fácil, lavar bem as mãos ou usar álcool gel, deveriam ser mantidos mesmo após a vacinação com as duas doses contra o coronavírus. Algo que na prática não aconteceu nas últimas semanas, em vários locais. 

O resultado disso está no aumento na procura por teste e atendimentos nas redes particulares quanto na pública.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, antes do dia 26 de dezembro, 25 testes RT-PCR eram realizados por dia no pronto-socorro e na UBS Covid, que fica no bairro Umuarama ll. Após esse período, o número de testes saltou para 200 por dia, gerando um aumento de mais de 700%. 

Para a reportagem do Hojemais Araçatuba , a assessoria afirmou que a prefeitura possui o número de testes suficientes para suprir a demanda e já solicitou a compra de mais kits. Na próxima semana, segundo a Prefeitura, deve retornar os atendimentos especializados no Hospital Municipal para quem estiver com sintomas respiratórios, retornando assim as estratégias que foram adotadas em 2020 e 2021. 

Particular

O aumento no número de testes não foi registrado apenas na rede pública. O Hospital Unimed emitiu um comunicado nesta quinta-feira (6), informando que o teste RT-PCR acabou no hospital. Ainda conforme a Unimed, apenas os testes antígenos estão disponíveis, mas em poucas quantidades. 

Pós-festas 

Segundo a assessoria, a Unimed Araçatuba registrou um aumento significativo no número de testes para covid-19 a partir do dia 27 de dezembro de 2021, que foi sentido até o dia 5 de janeiro. 

Somente nesse período, foram coletadas 770 amostras de exames para a doença. Desse número, 214 pacientes (28%) testaram positivo.

A média mensal de atendimentos no hospital também cresceu. Foi registrado um aumento de 238% na média semanal de atendimentos de pacientes com suspeita de covid-19.

Por meio de nota, o hospital informou para a reportagem que montou um novo plano de contingência com aumento de 80% no número da equipe assistencial e ampliação da estrutura física, com a instalação de novos contêineres para o pronto-atendimento.

O hospital reforçou que está percebendo um aumento diário de pessoas com doenças respiratórias e reforçou que é muito importante que a população mantenha as medidas de prevenção impostas pela OMS: vacina, máscara, higienização das mãos e distanciamento social. 

(Foto: Divulgação)

Laboratórios

Assim como na Unimed, os exames particulares de RT-PCR, considerado padrão-ouro na detecção do coronavírus, e o teste rápido de antígeno, que libera o resultado no mesmo dia, também tiveram um aumento exponencial em laboratórios. Para ambos, não é necessário pedido médico para fazer. A orientação para o teste rápido é realizar a partir do terceiro dia de sintoma, segundo a responsável técnica pelo laboratório São Paulo e médica patologista, Lígia Mattar Avezum Galasini.

De acordo com a médica, a alta mais expressiva foi após as festas de Réveillon; o aumento é de 100% considerando o mês anterior antes das festas de final de ano. No laboratório, estão sendo feitos em torno de 300 testes por dia, em todas as unidades do laboratório. 

Além dos exames que detectam covid-19, Lígia destaca os testes para influenza. Como os sintomas são semelhantes entre as duas doenças, ela indica o painel respiratório, exame que detecta em uma única coleta, os vírus da covid-19, influenza A e B, e o vírus respiratório sincicial, que é uma das principais causas de infecções das vias respiratórias e pulmões em recém-nascidos e crianças pequenas.

(Foto: Manu Zambon/Hojemais Araçatuba)

Recorde

Segundo o empresário Jader Mastellini, proprietário do laboratório Mastellini, com unidade em Araçatuba, na quinta-feira (6) foi registrado o recorde na procura por exames, em todo período de pandemia.

Antes do Natal, a média ficava entre 30 e 40 exames por dia. Somente na quinta, o laboratório fez 200 atendimentos a pessoas com suspeita. Desse total, cerca de 40% tiveram o diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Nas quatro unidades da Mastellini, foram mais de 1.000 exames somente no dia 6 de janeiro.

O laboratório oferece os dois exames, o teste de antígeno, que fica pronto em duas horas, e o RT-PCR, cujo resultado sai no dia seguinte. De acordo com o empresário, a eficácia do teste de antígeno fica em torno de 97% a 98%; no RT-PCR, esse número chega a quase 100%.

O mais procurado no momento é teste rápido, devido à agilidade, e é indicado para pessoas com sintomas gripais, como febre, coriza, dor no corpo e dor de cabeça.

(Foto: Divulgação)

Farmácia

De acordo com o gerente da unidade 2 da hiperfarmácia Drogamax, Sérgio Rite, o aumento na procura por testes rápido na farmácia aumentou 400%. “Fazíamos em média de cinco a dez testes por dia. Agora nesse início de ano, são cerca de 45 a 50 por dia”, afirma. 

Com a grande demanda, os testes chegaram a esgotar na manhã desta quinta-feira. Para suprir a procura, já foram feitos novos pedidos e em alguns dias a farmácia deve receber novos exames. "As demais farmácias e laboratórios também sofreram com esse aumento súbito. Mas a indústria está tentando atender a todos. Já alguns medicamentos para gripe e resfriados estão em falta direto na indústria”. 

De acordo com Rite, quando os testes rápidos são realizados no período correto, tem eficácia superior a 95%. O gerente explica que, no mínimo, o teste rápido (swab) deve ser feito no sexto dia. O mesmo vale para assintomáticos, que tiveram contato com pessoas que positivaram. 

Testes

Os testes RT- PCR identificam a presença de material genético do vírus no corpo do paciente. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), são esses testes que determinam de forma mais confiável se a pessoa tem ou não covid-19.

Para fazer o exame, são coletadas amostras de secreções do nariz ou da garganta do paciente. Normalmente, esses testes são feitos, sob prescrição médica, quando a pessoa apresenta sintomas da doença. Porém, laboratórios também fazem sem prescrição, mediante agendamento.  

O laboratório vai buscar fragmentos do material genético do vírus (RNA) nas amostras colhidas do paciente. Caso esse material seja encontrado, as moléculas são analisadas para determinar se pertencem ou não ao vírus.

A outra opção é o teste rápido, que é o mais procurado atualmente. O mesmo utiliza a tecnologia chamada RT-Lamp que mostrou precisão semelhante ao RT-PCR. Ele é coletado com cotonete do tipo swab e entrega o resultado em algumas horas aos pacientes. 

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM COTIDIANO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.