Opinião

Quer ganhar nota máxima na redação?

"A 'fórmula do sucesso', como costumo chamar, é ler um jornal por dia, uma revista por semana e um livro por mês"

Ayne Regina Gonçalves Salviano*
05/09/20 às 14h51

Olá, meu nome é Ayne, sou professora de redação. A partir de hoje, e quinzenalmente, estarei no Hojemais Araçatuba para ajudar estudantes com dicas sobre produção textual para vestibulares, concursos públicos e outras provas. O nosso objetivo, do jornal e meu, é que você, leitor, possa tirar dúvidas, ganhar repertório e confiança.

Começo, então, pelo gênero textual mais solicitado nos exames: a dissertação. Trata-se de um texto opinativo, cujo objetivo é fazer o candidato defender uma tese, provar seu pensamento com um raciocínio lógico e concluir, algumas vezes, e em especial no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), apontando possibilidades de intervenção, ações que podem ser feitas para minimizar o problema discutido.

O objetivo da dissertação nas provas é conhecer o candidato; saber seus valores. Certamente você entende que este é o único espaço nos exames onde o candidato expressa suas ideias. Nas demais questões, ele apenas repete conhecimento acumulado, que apreendeu, no sentido de capturar mesmo, ou decorou.

Na redação, além de demonstrar a habilidade de leitura da proposta e da coletânea, precisa dominar a interpretação de textos, mais a língua portuguesa. Depois tem que apresentar um ponto de vista defensável, que respeite os direitos humanos e a lógica. Fácil? Não, não é. Mas é fundamental se o candidato desejar a aprovação, pois as questões de redação valem a maior parte da nota. Só para dar um exemplo, no Enem a prova toda vale dois mil pontos. Só a questão de redação vale um mil pontos.

A dissertação do vestibular é considerada um texto de caráter científico. Claro que não tem o rigor das publicações científicas, comuns a partir da graduação, mas que exige, sim, uma estrutura e, principalmente, conhecimento. O princípio é: não se deve opinar sobre aquilo que não se sabe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Daí, minha primeira dica: leia, leia muito. A “fórmula do sucesso”, como costumo chamar, é ler um jornal por dia, uma revista por semana e um livro por mês. Os temas das provas, geralmente, são retirados da mídia, assuntos que foram ou estão sendo discutidos pela sociedade. Por isso, saber sobre as notícias do Brasil e do mundo é tão importante. Ao passo que ler obras literárias também é fundamental para ajudar a criar um estilo no autor.

Sim, ter um texto autoral é, hoje, a maior qualidade que um candidato pode apresentar às bancas de correção. Professores-corretores estão extremamente cansados de ler as mesmas ideias propagadas por pessoas que inundaram as redes sociais com textos pré-montados que, eles dizem, garantem a nota máxima.

Na verdade, o que garante a nota máxima é obedecer uma estrutura textual, mas não decorar frases inteiras para o começo ou o fim, nem alguns conectores como “ademais”, “outrossim” ou “destarte” que jovem nenhum usa no seu vocabulário. O que garante nota máxima é demonstrar conhecimentos diversos em análises históricas, filosóficas, sociológicas ou atuais.

Espero você, em quinze dias, na nossa próxima coluna. Estou preparando muitas outras dicas legais.

Foto: Arquivo pessoal

*Ayne Regina Gonçalves Salviano é mestre em comunicação e semiótica, jornalista e professora de redação em Araçatuba e cidades da região

** Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião deste veículo de comunicação.

Gostaria de ter artigos publicados no  Hojemais Araçatuba ? Entre em contato pelo e-mail  redacao@ata.hojemais.com.br  .

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM OPINIÃO
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.