Política

Senadora de MS critica meninas com pelos na axila e pede universidade militarizada

Soraya Thronicke (PSL-MS) afirmou que a implantação irá coibir atos culturais e protestos

Thais Dias  - Hojemais Três Lagoas
16/02/20 às 13h45
A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) anunciou, durante a sessão do Congresso, que os vídeos suspensos pelo TCU continuariam sendo divulgados nas redes sociais

Na última terça-feira, 11, durante a audiência pública com Weintraub na comissão de Educação do Senado, Soraya Thronicke (PLS- MS) defendeu que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, estendesse a política de escolas cívico-militares para as universidades públicas, com a intenção de "coibir atos culturais ou de protestos".

"Vossa excelência está implantando escolas cívico-militares, eu gostaria de saber se é possível implementar um sistema igual dentro de universidades", perguntou.

A senadora explicou que, atualmente, reitores e professores não podem se "insurgir" contra alguns tipos de comportamentos, já que a situação é vista por parte da sociedade como "um problema grave".

Soraya contou que recebeu fotos de mulheres "seminuas" com a axila peluda em banheiros de universidade, classificando o ato como "tétrico". Ela citou também pichações em salas de aula e afirmou que cenas como aquelas não se veem "nem debaixo da ponte".

De acordo com a senadora, as mulheres estavam mostrando os pelos como se fosse um protesto, o que não deveria ocorrer dentro de uma universidade federal.

Em resposta à senadora, o ministro afirmou que não é possível coibir os atos culturas ou protestos, já que teria que alterar a legislação. "Isso aí depende da legislação, é muito difícil hoje", explicou.

(*) com informações de Congresso em Foco

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM POLÍTICA
Franquia:
Três Lagoas MS
Franqueado:
Empresa Jornalística e Editora Hojemais Ltda.
01.423.143/0001-79
Editor responsável:
Daniele Brito
materia03@hojems.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.