Justiça

Justiça de Penápolis inicia audiência com réus da Operação Raio X

Houve o desmembramento do processo e 53 testemunhas devem ser ouvidas antes do depoimento dos réus, entre eles o médico anestesista Cleudson Garcia Montali, apontado como líder do suposto esquema criminoso

Lázaro Jr. - Hojemais Araçatuba
26/04/21 às 10h22
Processo é referente a denúncia de irregularidades em contrato entre a Prefeitura de Penápolis e a OSS Santa Casa de Birigui (Foto: Ivan Ambrósio/Jornal Interior/Colaboração)

Está prevista para começar nesta segunda-feira (26), a audiência de instrução e julgamento de parte dos réus no processo relacionado à Operação Raio X, que tramita na Justiça de Penápolis (SP). Eles são acusados de integrar uma organização criminosa especializada no desvio de dinheiro público da área da Saúde, por meio de OSSs (Organizações Sociais de Saúde).

Houve o desmembramento do processo e a audiência que começa hoje é referente à denúncia contra o médico anestesista Cleudson Garcia Montali, apontado como líder do suposto esquema criminoso; o ex-presidente da Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Birigui, Cláudio Castelão Lopes; Aline Barbosa de Oliveira; Márcio Takashi Alexandre; Márcio Toshiharu Tizura, que foi preso junto com Cleudson; Nicolas André Tsontakis Morais, que também responde por Nicholas André Silva Freire; Olavo Silva de Freitas; e Raphael Valle Coca Moralis.

A sessão estava prevista para começar às 9h30, no Fórum de Penápolis, e pode se estender até a próxima quarta-feira, pois há 53 testemunhas para serem ouvidas antes de os réus serem interrogados.

Três grupos

Ao todo, 36 pessoas são rés no processo na Justiça de Penápolis referente à essa investigação, que teve início com a denúncia de supostas irregularidades no contrato entre a OSS e a Prefeitura de Penápolis para gerenciamento do pronto-socorro municipal.

O ex-secretário municipal de Saúde, Wilson Carlos Braz, que também foi preso na operação, deflagrada pela Polícia Civil de Araçatuba em 29 de setembro, está entre os réus, mas a reportagem não tem informações de quando será a audiência no caso dele.

Como houve desmembramento do processo, os réus foram divididos em três grupos. Braz está incluído no grupo com o também médico Abel José Costa, Daniela Araújo Garcia (esposa de Cleudson), Daniela Bottizini, Gilberto Ademir Granja, Guilherme Aparecido de Jesus Paracatu, Ivone Valle Coca Moralis, Liege Tada Batagim dos Santos, Luciano Abreu Oliveira, Maurício Carlo Zanlorensi, Osvaldo Coca Moralis, Vagner Luís Miasso, Sônia Erci Munhoz Braz e Vilma Aparecida Ferreira.

O terceiro grupo tem os réus André de Freitas, André Rebequi Bispo, Antônio Carlos de Oliveira, Camila Aparecida Freitas G. Escanhuela dos Santos, Chislani Cristina Batista da Cunha, Cleuer Jacob Moretto, Eunice Masson, Luciana Araújo Lima, Orlando Valentim Botasso Júnior, Osvaldo Ramiro Alexandre, Sérgio Kiyoshi Takahashi Harada, José Antônio Ferrez Chacon, Robélio Meneghetti Junior, Genilson José Duarte Amorin e Moisés Constantino Ferreira Neto.

Birigui

Além do processo que tramita em Penápolis, há outro em andamento na Justiça de Birigui, relacionados a outros contratos investigados na Operação Raio X. Nesse processo a Justiça de Birigui decretou a prisão preventiva de 27 denunciados, incluindo o ex-vereador de Birigui, José Roberto Merino Garcia, o Paquinha; e o médico Lauro Henrique Fusco Marinho, que seria o braço direito do também médico Cleudson. Os dois estão em prisão domiciliar.

LEIA TAMBÉM
 RECOMENDADO PARA VOCÊ
 EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
 ÚLTIMAS EM JUSTIÇA
Franquia:
Araçatuba SP
Franqueado:
Connect Empresa Jornalística e Editora LTDA
32.184.870-0001/54
Editor responsável:
Aline Galcino - MTB: 43087/SP
aline.galcino@ata.hojemais.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.